x

2

Título: x

Ano de Lançamento: 2014

Gêneros: Pop Folk, Pop Rock, Indie Rock

1. One: uma música sincera e bela com um ótimo riff de violão e uma performance vocal marcante de Sheeran. Nota: 3.5/5

2. I’m a Mess: uma música de auto-crítica com um riff de violão bem legal, uma performance vocal forte de Ed Sheeran e um excelente refrão. Nota: 4.5/5

3. Sing: a na minha opinião melhor música lançada por ele até hoje, mostre fortes influências de Justin Timberlake no refrão e é viciante, com um excelente instrumental e um vocal muito forte, veloz e afiado. Nota: 5/5

4. Don’t: mais uma música sobre relacionamentos, é inspirada pelos namoros mal sucedidos de Sheeran, a música tem ótimos versos e um bom refrão. Nota: 4/5

5. Nina: uma péssima música com fortes influências de Hip Hop peca terrivelmente pela falta de inventividade, refrão ruim e letra de forma geral chata pra caralho. Nota: 0.5/5

6. Photograph: uma faixa bonitinha sobre amor.mas que peca pela superficialidade e a falta de profundidade de sua letra. O refrão é bom, mas como já disse em outras ocasiões, um bom refrão apenas não faz uma boa faixa. Nota: 2/5

7. Bloodstream: “Bloodstream” é uma música interessante, com versos simples e um refrão agradável, mas não passa de uma faixa morna. Nota: 3/5

8. Tenerife Sea: mais uma música fraca, com letra piegas e melodia manjada, além de um péssimo refrão. Nota: 1/5

9. Runaway: uma música bela com um ótimo trabalho de baixo e palmas que são a base da música. Mas ela infelizmente peca por uma letra repetitiva e superficial. Nota: 2/5

10. The Man: a pior música de Ed Sheeran, “The Man” é Rap com letra de gosto muito duvidoso e refrão terrivelmente ruim. É bom deixar claro também que nem o instrumental salva, é repetitivo e clichê. Nota: 0.5/5

11. Thinking Out Loud: sua música mais famosa, “Thinking Out Loud” é uma balada acústica muito inspirada, com uma excelente letra, muito profunda, e o refrão mais romântico da última década. O vídeo clipe da música também é incrível com uma coreografia muito elaborada feita por Sheeran e uma mulher em apenas um take. Nota: 4.5/5

12. Afire Love: mais uma faixa fraquíssima. Peca pelo instrumental pouco elaborado, letra ruim e refrão chato. Nota: 1.5/5

13. Take It Back: excelente faixa que mostra o quão rápido Sheeran consegue cantar enquanto toca violão de forma ótima ao mesmo tempo. O refrão é agressivo e casa com a proposta da faixa. Nota: 4.5/5

14. Shirtsleeves: essa faixa cresceu negativamente em mim. Na primeira vez que ouvi adorei, depois a cada vez que houvia novamente a achava cada vez mais boba e com refrão estúpido. Hoje em dia não me desce muito bem não. Eu vejo apenas como uma música mediana. Nota: 2.5/5

15. Even My Dad Does Sometimes: mais uma faixa completamente sem inspiração, tem versos muito superficiais e um refrão ridículo. O que quase salva é o instrumental que é de bom gosto. Nota: 1.5/5

16. I See Fire: a melhor faixa do disco ao lado de “Sing”, “I See Fire” é melancólica, linda e profunda. É a melhor composição de Ed Sheeran até hoje com uma letra impecável, instrumental é extremamente agradável e muita melancolia. Considero a única faixa de Rock Progressivo do artista. Nota: 5/5

Conclusão: o segundo disco de Ed Sheeran tem seus excelentes momentos, mas consegue ser imensamente inferior ao primeiro trabalho do músico e desagradar em mais da metade das faixas.

Destaques: “I’m a Mess”, “Sing”, “Don’t”, “Thinking Out Loud”, “Take It Back” e “I See Fire”.

Anúncios