Cover

4

Título: Endless Forms Most Beautiful

Ano de Lançamento: 2015

Gêneros: Power Metal, Heavy Metal

1. Shudder Before the Beautiful: a primeira faixa do disco tem excelente instrumental, uma ótima performance vocal de Floor Jansen, elementos sinfônicos muito bem aplicados, uma letra incrível e um refrão grudento que fica na cabeça. É uma música um pouco longa mas em nenhum momento se torna cansativa. Nota: 4/5

2. Weak Fantasy: com belos versos e um refrão matador, “Weak Fantasy” deve funcionar muito bem ao vivo por seu poder, letra fácil e geral agradabilidade melódica. Nota: 4.5/5

3. Elan: o single do disco é uma faixa bastante comercial, mas de forma alguma é ruim por esse motivo. Ela tem uma boa letra, excelente melodia vocal nos versos, refrão carismático e instrumental decente. Nota: 4/5

4. Yours Is An Empty Hope: com um início belo e muito orquestrado, os instrumentos clássicos logo abrem espaço pra compartilharem a sonoridade com riffs pesados e o dueto entre Floor e Marco funciona muito bem. Há química na voz dos dois. Por sua melodia vocal e letra é um dos grandes destaques do álbum. Nota: 4/5

5. Our Decades in the Sun: a balada sensível e delicada começa com um coro de crianças de fundo e um vocal super suave da Floor Jansen dividindo espaço com elas. É nessa balada que se encontra o refrão mais melancólico, melódico e cativante do disco. O instrumental fica em segundo plano. Nota: 4.5/5

6. My Walden: com um começo esquisito que felizmente passa rápido, “My Walden” mostra fortes influências de Folk Metal em seus interlúdios. A performance de Floor é novamente notável e a letra é decente. Nota: 3.5/5

7. Endless Forms Most Beautiful: uma faixa sinfônica com pitadas de industrial, quem diria? É uma das raras ocasiões onde eu devo ser sincero comigo mesmo e dizer: eu não gostei do vocal de Floor Jansen nesta música. A letra é razoavelmente bobinha também. Nota: 2.5/5

8. Edema Ruh: essa faixa de nome estranho é uma ótima música com instrumental competente, excelente performance vocal de Floor e um refrão notável pela sua fácil assimilação com a era Tarja da banda. Nota: 3.5/5

9. Alpenglow: a melhor música do disco tem instrumental e orquestramento incríveis, uma excelente performance vocal de Floor, uma letra singela mas que mostra o seu valor e um refrão viciante. Nota: 5/5

10. The Eyes of Sharbat Gula: um ótimo instrumental pra abrir espaço para a maior música do disco. Nota: 3.5/5

11. The Greatest Show On Earth: a faixa final é emblemática. Ela tem um começo cansativo e arrastado, e conta com uma entrada de mais de 5 minutos, mas quando a faixa começa de verdade, meu irmão, queixos caem. A melhor performance de Floor Jansen em todo o disco é guardada pra essa perola final pesada e épica com seus 23:58 minutos. É o “Octavarium” do Nightwish chegando ao seu ápice no dueto entre Marco e Floor. Nada mais a dizer. Nota: 4.5/5

Conclusão: Floor carrega o legado intocável do Nightwish com braveza e merece aplausos por isso, ela se destaca em quase todas as faixas do disco e faz um impecável trabalho, eu senti falta de uma maior participação de Marco, mas fazer o que? Quem sou eu pra reclamar? Disco essencial para os fãs da banda.

Destaques: “Weak Fantasy”, “Yours Is An Empty Hope”, “Our Decades in the Sun”, “Alpenglow” e “The Greatest Show On Earth”.

Anúncios