fireworks

4

Título: Fireworks

Ano de Lançamento: 1998

Gêneros: Power Metal, Speed Metal, Progressive Metal

1. Wings of Reality: a primeira faixa do disco é uma épica faixa de Power Metal com versos vibrantes, ótimo instrumental, boa letra e refrão carismático. Nota: 4/5

2. Petrified Eyes: com uma entrada instrumental muito bem feita, “Petrified Eyes” evolui a uma poderosa faixa de Speed Metal com vocal exemplar de Andre Matos, versos animados e um refrão memorável. Nota: 5/5

3. Lisbon: a música mais popular do disco que é tocada ao vivo até hoje tem uma grande influência Neo-Classica, letra profunda, versos emocionais e refrão vigoroso. Nota: 5/5

4. Metal Icarus: minha faixa preferida do disco é um Progressive Metal com excelentes riffs, versos memoráveis e refrão grudento e inesquecível com topo no pós refrão onde Andre Matos grita a todo pulmões “ah, those were the years, i can still feel the windy heights against my skin”. Nota: 5/5

5. Paradise: uma faixa de Power Metal com ótimos riffs, solo memorável, versos bons, letra decente, ótima performance de Andre Matos e refrão legal. Nota: 3.5/5

6. Mystery Machine: com o melhor riff do trabalho, “Mystery Machine” é uma faixa de Progressive Metal com excelente performance vocal de Andre Matos, letra boa, bridge contagiante e bom refrão. Nota: 4/5

7. Fireworks: a segunda balada tem uma das melhores letras do trabalho, versos calmos, bridge potente e um refrão muito contagiante. Conta também com um excelente fim. Nota: 4.5/5

8. Extreme Dream: a melhor performance vocal de Andre Matos no disco aqui se encontra, com riffs bem feitos e um refrão memorável. Nota: 4/5

9. Gentle Change: a terceira balada do disco tem versos inspiradores, refrão contagiante e refrão muito bonito, todos apoiados por instrumental competente e um ótimo refrão. Também é uma das música tocadas até hoje pela banda. Nota: 4.5/5

10. Speed: uma das faixas mais velozes do disco, “Speed” se tornou um clássico da banda. Com seus versos carismáticos, riff divertido, excelente bridge e refrão fenomenal. Nota: 5/5

11. Rainy Nights: a faixa mais experimental do disco tem bons versos, ótima letra e refrão bem feito, mas não passa muito disso. Nota: 3.5/5

Conclusão: o Angra lança mais um disco memorável da era Andre Matos com o divisor de águas Fireworks, cheio de bons momentos, riffs insanos e musicalidade impecável.

Destaques: “Petrified Eyes”, “Lisbon”, “Metal Icarus”, “Fireworks” e “Speed”.

Anúncios