Napalm-Death-Apex-Predator-Easy-Meat

5

Título: Apex Predator – Easy Meat

Ano de Lançamento: 2015

Gêneros: Grindcore, Death Metal

1. Apex Predator – Easy Meat: uma entrada sombria e soturna para o disco, com um monologo cantado seguido de muita brutalidade vocal e um bom instrumental. Nota: 4.5/5

2. Smash A Single Digit: uma faixa brutalmente incrível com uma proposta de Death Metal intensa, ótima letra e vocal insano. Nota: 5/5

3. Metaphorically Screw You: mais uma faixa extrema com vocal brutal e excelente instrumental, além de uma letra suja e impactante. Nota: 5/5

4. How The Years Condemn: uma música pesada com excelente baixo, fortes versos com uma letra escrita de forma exímia, excelente riff base, vocal feroz e excelente refrão. Nota: 5/5

5. Stubborn Stains: uma faixa intensa com muito peso, velocidade, ótima letra e um vocal violento. Mostra com eficácia a ferocidade do trabalho. Nota: 4.5/5

6. Timeless Flogging: uma faixa com instrumental técnico, riff estupendo, excelente letra, bons versos e refrão intenso. Nota: 5/5

7. Dear Slum Landlord: a faixa mais leve do disco, é cantada de forma sombria e com uma letra obscura, versos dramáticos e um refrão poderoso. Nota: 4.5/5

8. Cesspits: uma viciosa música de Death Metal com muito peso, excelente instrumental que esbanja técnica, versos brutais e um inesquecível refrão. Nota: 5/5

9. Bloodless Coup: a faixa mais técnica até o momento (resenha ao vivo), tem excelentes riffs, vocal feroz e refrão intenso. Nota: 4.5/5

10. Beyond The Pale: uma viciante faixa de Grindcore com um excelente início, uma eficaz mistura de gutural e screamo tanto nos versos quanto no refrão e um instrumental impecável. Nota: 5/5

11. Stunt Your Growth: a melhor faixa do disco, com intensidade extremamente elevada, fortes versos, instrumental insano e vocal brutal além de um ótimo refrão. Nota: 5/5

12. Hierarchies: uma forte faixa de Thrash Metal com excelente vocal, letra bem feita, instrumental competente e um refrão extremo. Nota: 4/5

13. One-Eyed: mais uma faixa com instrumental insano, vocal muito bem feito, excelente letra, andamento agressivo, peso extremo e um refrão grudento. Nota: 5/5

14. Adversarial/Copulating Snakes: a faixa mais veloz do disco garante bons momentos com um instrumental imensamente intenso, ótima interseção entre bridge e refrão e uma boa letra. Nota: 4.5/5

Conclusão: o disco mais intenso do ano, é de aplaudir de pé por sua impecável qualidade, sonoridade suja e agressiva, letras que abrangem os mais variados assuntos, instrumentais incríveis e vocais fervorosos. É um disco inesquecível e fortíssimo candidato para melhor disco de Metal do ano.

Destaques: “Smash a Single Digit”, “How the Years Condemn”, “Timeless Flogging”, “Cesspits”, “Stunt Your Growth” e “One-Eyed”.

Anúncios