Virgo - Virgo (2001)

4

Título: Virgo

Ano de Lançamento: 2001

Gêneros: Progressive Rock, Neo-Classical Rock, Hard Rock

1. To Be: começando com uma faixa Neo-Clássica o Virgo abre seu primeiro e único disco com classe, intensidade e beleza em uma música com instrumental incrível, excelente performance vocal de Andre Matos, letra significativamente sentimental e um excelente refrão orquestrado e cheio de poder. Nota: 4/5

2. Crazy Me: com uma grande influência de Deep Purple começa a segunda faixa, com um ótimo trabalho de piano, versos calmos, uma letra interessante e diferente e um refrão forte que mostra o enorme alcance vocal de Andre Matos e um instrumental marcante. Nota: 4.5/5

3. Take Me Home: uma balada delicada com letra melancólica, versos pacíficos, ótimo instrumental com piano caprichado e uma incrível linha de baixo e um riff bem feito que dão cor a música, principalmente no belo refrão com ritmo muito cativante. O instrumental por vezes lembra Dire Straits. Nota: 4/5

4. Baby Doll: começando com um ótimo riff bem pra cima, a quarta faixa do disco é quase uma música de Hard Rock com versos simples, uma boa letra, um bridge bem feito e um refrão carismático com ótimo instrumental e perfeito balanço entre melodia dos instrumentos e melodia vocal. Nota: 3.5/5

5. No Need to Have an Answer: a segunda balada do disco tem uma boa letra, instrumental Neo-Clássico, uma performance vocal calma de Andre Matos, delicadeza e bom gosto com um refrão intimista seguido sempre de um dedilhado lindo. Nota: 4/5

6. Discovery: a música de melhor sonoridade no álbum capricha na gaita, tem um instrumental redondo e sem erros, uma ótima performance vocal encaixada em uma letra bela e inspirada e um refrão lindo, profundo e carismático com várias referências melódicas de Dream Theater. Nota: 4.5/5

7. Street to Babylon: a faixa mais moderna do trabalho tem um instrumental bem trabalhado, excelente letra, versos agradáveis e uma excelente performance vocal de Andre Matos ressaltada no incrível refrão da música que é extremamente cativante e soa muito belo. Nota: 4.5/5

8. River: a melhor música do disco tem grande influência sonora de Queen em seus versos carinhosos e intimistas. A letra é espetacular e muito profunda culminando em um excelente refrão que esbanja maestria melódica com lindas linhas vocais em uma ótima performance vocal de Andre Matos. Nota: 5/5

9. Blowing Away: a única música de Heavy Metal do disco tem versos pra cima com uma letra animada e positiva, ótimos riffs, excelente bateria e um refrão diferente de tudo o que o Andre Matos já fez que acompanha a perfeita performance vocal dos versos em um centro explosivo e cantado com perfeição,  além de um ótimo solo para acompanhar. Nota: 4.5/5

10. I Want You to Know: a pior faixa do disco tem influências de Tom Petty and the Heartbreakers e é um Hard Rock bem feito, com instrumental competente e quase inteiro acústico, versos calmos e um refrão razoável e clichê. Nota: 3/5

11. Fiction: uma balada de Blues com instrumental inspirado, e um inusitado dueto vocal de Matos e Paeth com ótimo refrão e excelente letra. Os elementos Neo-Clássicos também estão muito presentes neste Blues e vemos um raro uso de drive por Matos, fechando o disco com um bom solo. Nota: 3.5/5

Conclusão: um dos melhores e mais diversos trabalho da carreira de Andre Matos, Virgo mostra um lado mais clássico do vocalista com excelentes performances vocais, instrumental caprichado, letras muito bem escritas e refrões contagiantes.

Destaques: “Crazy Me”, “Discovery”, “Street of Babylon”, “River” e “Blowing Away”.

Anúncios