wcoM1QYl

3

Título: The Circle of Blood

Ano de Lançamento: 2015

Gêneros: Heavy Metal, Power Metal

1. Circle of Blood: uma música simples, com bom instrumental, versos decentes e um refrão regular. Nota: 3/5

2. Wild Heart: uma música que remete a NWOBHM e Saxon, tem um ótimo riff, boa letra, vocal poderoso, versos marcantes, um vocal próximo da voz de Matt Barlow, ex-Iced Earth. Tem um refrão forte e empolgante. Nota: 4/5

3. Master of Fate: uma música muito pesada e veloz com excelente instrumental, boa letra mas uma performance vocal mediana e abaixo do conjunto geral. Nota: 3.5/5

4. Cauldron: uma boa música com instrumental decente, bom vocal e boa letra, que se destaca realmente no ótimo refrão, mas não deixa de ser uma faixa morna. Nota: 3/5

5. Firestorm: com excelentes riffs, bastante peso e um excelente grito no início, “Firestorm” é uma forte música com versos upbeat, boa letra e um ótimo refrão. Nota: 4/5

6. Stronghold: uma música simples com versos decentes, boa performance vocal e refrão razoável. Nota: 3/5

7. Blood Sentence: uma faixa intensa com ótimos versos, excelente performance vocal, bons riffs e um refrão que me ganhou pela simplicidade. Nota: 4/5

8. Liberty is Death: começando marchada é uma música que logo assume um riff cativante e um excelente trabalho nas baquetas. Ela tem a melhor performance vocal do disco mas um razoável, o que a afasta de ser um destaque no trabalho. Nota: 3/5

9. Lighthouse Reaper: com o melhor instrumental de todo o disco é uma música que lembra Dream Evil na sua poderosa sonoridade, com excelente vocal e refrão inspirado. Nota: 4/5

10. Death Rain: uma música pesada e veloz de Power Metal com uma performance vocal espetacular, versos poderosos e um refrão que remete a Iced Earth, é uma faixa forte e sólida e facilmente a melhor faixa do disco. Nota: 4.5/5

11. Siegfried: começando com um coro fraquinho, é uma música razoável que apresenta um ótimo riff, uma boa letra e uma boa performance vocal mas uma letra bem fraca. Nota: 3/5

12. To Valhalla We Ride: com bons riffs e uma performance vocal decente é uma faixa que não impressiona mas não desagrada e é salva pelo seu refrão cativante. Nota: 3.5/5

Conclusão: o Dark Witch lançou em 2015 um disco competente, com alguns momentos muito fortes e outros nem tanto, mas que prova o talento da banda e um bom nível de qualidade.

Destaques: “Wild Heart”, “Firestorm”, “Blood Setence”, “Lighthouse Reaper” e “Death Rain”.

Anúncios