hammer

4

Título: Hammer of the Witches

Ano de Lançamento: 2015

Gêneros: Gothic Metal, Black Metal

1. Walpurgis Eve: uma entrada atmosférica e sombria para o álbum, com instrumental sinfônico e muita beleza. Nota: 4/5

2. Yours Immortally: uma música épica com ótimo instrumental com excelentes quebras rítmicas, vocal ríspido e riffs excelentes, além de um refrão forte e marcante. Nota: 4.5/5

3. Enshrined In Crematoria: uma faixa pesada com excelente instrumental e riffs matadores, tem versos cadenciados com vocal obscuro e letra muito negativa e pesada além de um bom refrão. Nota: 4/5

4. Deflowering The Maidenhead, Displeasuring The Goddess: uma música com instrumental intenso e belo, performance vocal atroz de Dani Filth, versos muito bem feitos e refrão vigoroso, é uma grande faixa. Nota: 4.5/5

5. Blackest Magick In Practice: uma faixa sinfônica com um lindo backing vocal feminino, muito peso, versos inicialmente cochichados e após um certo tempo berrados, tem uma performance vocal ríspida e um ótimo instrumental. Nota: 3.5/5

6. The Monstrous Sabbat (Summoning The Coven): uma bela entrada para a faixa título. Nota: 3.5/5

7. Hammer of the Witches: com uma entrada intensa a música se mostra um Gothic Metal de excelente qualidade com riffs carregados, refrão com múltiplas camadas, versos agressivos e muitas, muitas notas altas. Tem em seu momento mais insano um breve monólogo feminino, finalizando com um solo fenomenal. Nota: 3.5/5

8. Right Wing Of The Garden Triptych: com um poderoso vocal feminino na entrada, instrumental fenomenal, vocal bem feito e letra sombria com um refrão muito cativante, é a melhor música do disco. Nota: 4.5/5

9. The Vampyre At My Side: uma faixa sombria com vocais metódicos, versos fortes e cheios de impacto, o melhor instrumental de todo o disco e um refrão muito marcante, também é um dos pontos altos do disco. Nota: 4/5

10. Onward Christian Soldiers: com uma épica entrada, a faixa mais longa do disco com 7 minutos de duração tem um grito visceral assim que o instrumental começa e é uma faixa de Black Metal ríspida com muito peso e força, ótima letra e instrumental impactante. Nota: 3.5/5

11. Blooding The Hounds Of Hell: uma faixa sinfônica e atmosférica fecha o disco da mesma forma que ele começou: épica. Nota: 4/5

Conclusão: Cradle of Filth é uma banda que divide opiniões e que desde Nymphetamine (2004) não lançavam um disco bom, mas essa é a redenção dos ingleses com um disco denso, ríspido, brutal e até mesmo belo que promete a agradar os fãs da banda, e muito. Mas não é uma sonoridade para o público geral de Rock.

Destaques: “Your Immortally”, “Deflowering The Maidenhead, Displeasuring The Goddess”, “Right Wing Of The Garden Triptych” e “The Vampyre At My Side”.

Anúncios