Após o trágico acidente em 1985 que fez o baterista Rick Allen perder um braço a banda passou por maus bocados. Com futuro incerto e grande preocupação com a saúde de Allen eles passaram por dois anos de hiato onde desenvolveram uma bateria que poderia ser tocada com apenas um braço e a banda voltou aos estúdios. O resultado surpreendeu a todos.

hysteria

5

Título: Hysteria

Ano de Lançamento: 1987

Gêneros: Pop Metal, Hard Rock, Arena Rock

1. Women: começando com um riff virtuoso acompanhado do vocal de Joe Elliott, começa uma música sobre um assunto meio óbvio: mulheres. Com versos cativantes e bem escritos e contando com um bridge marcante e um refrão inesquecível cantado em um forte coro por toda a banda. A estrutura dos versos é bem básica e movida a baixo e bateria, já no refrão, é mais elaborada e espalhafatosa. É uma grande música que abre um grande disco com muito carisma e bom gosto. Nota: 10/10

2. Rocket: uma animada música que fala sobre amor de forma peculiar, tem versos bem construídos com ótimas vocalizações da banda e faz referência aos trabalhos de vários outros artistas, com bridge caprichado e muito agudo e um refrão extremamente cativante, é uma música povão, muito fácil de gostar e com uma melodia marcante e bem feita. Nota: 9.5/10

3. Animal: uma balada bem feita com uma letra não muito clara sobre o seu sentido, parecendo ser sobre alguém que sofre por alguém que ama, com um excelente refrão, versos contagiantes e contando com um solo excepcional, é uma música de forte impacto na primeira ouvida por sua linda melodia e o excelente fim onde o refrão é misturado a frases cantadas por Joe Elliott. Também está entre as melhores do disco por sua doçura e carisma. Nota: 9.5/10

4. Love Bites: um dos grandes hits do disco é essa balada inspirada que fala sobre as desconfianças de um amor profundo de forma doce, com versos construídos com excelência, bridge marcante e cantado em coro por toda a banda, com um excelente senso de melodia e um refrão poderoso que mistura coros e vocais muito agudos de Joe Elliott. É uma música de facílima assimilação e grande impacto. Nota: 10/10

5. Pour Some Sugar On Me: o outro grande hit é a eterna música do strip-tease, com uma letra viciante e com excelente melodia falando sobre sexo de forma sutil e divertida, conta com um bridge caprichado e um refrão inesquecível, com a famosa frase “eu sou quente, grudento e doce da minha cabeça aos meus pés”. O solo é marcante e bem feito seguido por uma seção sensacional de versos em melodia diferente. A performance de Joe Elliott é o ponto alta da faixa, vocalista esse que abusa de vocal agudo e drives em sua performance, algo que só agrega positivamente para o resultado final, que é espetacular. Nota: 10/10

6. Armageddon It: mais uma música sobre amor e sexo que abusa da sutileza em suas letras, tem excelente instrumental, uma ótima performance vocal de Joe Elliott, um bridge muito bem feito e um refrão pra ser gritado por arenas inteiras nessa música do mais puro Arena Rock, contando com uma quebra rítmica na segunda metade com algumas frases diferentes sendo cantadas, peca um pouquinho pela falta de um solo. Nota: 9/10

7. Gods of War: com uma entrada atmosférica composta apenas de riffs agudos de guitarra, logo se torna um petardo do Hard Rock com o melhor riff de todo o disco em uma melodia marcante e versos bem construídos que falam sobre poder. A introdução leva mais de 1 minuto e 40 segundos e pode ser considerada cansativa pra alguns mas quando a música entra faz valer a pena a espera. Temos uma música com versos grudentos, refrão vigoroso e com muito carisma. Nota: 8.5/10

8. Don’t Shoot Shotgun: uma música com um começo cativante, tem ótimos versos falando sobre julgamento em uma música animada e muito bem feita. O bridge é carismático e o refrão gruda. Não é uma música que tem muito o que falar sobre, pois é a mais simples de todo o disco, mas é excelente. Nota: 9/10

9. Run Riot: uma cadenciada faixa de Heavy Metal que começa com um riff vicioso e gritos de Joe Elliott, mantendo as notas altas nos versos mais agudos do disco. Ela fala sobre sobre quebrar as regras impostas pelas leis e a sociedade e fala isso com muita diversão e de forma extremamente cativante, com pico no excelente solo de guitarra que mostra bem as habilidades do guitarrista solo, que eu vou ser honesto, não sei qual é nessa música. Nota: 8.5/10

10. Hysteria: outro hit do disco, a inspirada balada que leva o nome do trabalho tem lindos versos sobre estar apaixonado,  com um bridge forte e um refrão inesquecíveis que diz “Eu fico histérico, você pode sentir isso? Você acredita nisso? É como uma magica misteriosa, quando você tiver essa sensação, melhor começar a acreditar. Porque é um milagre dizer que você vai, oh querida. Histeria quando você está por perto.” O solo que acompanha a música não deixa cair o pique e é espetacular na sua simplicidade. Nota: 9.5/10

11. Excitable: uma forte música de Arena Rock que tem um início sensacional, fala sobre a empolgação com música que todos nos temos em uma faixa animada que incentiva o público a litar e gritar Yeah em seu bridge e tem um refrão marcante e divertido, com um bom solo e uma ótima intercessão de vocalizações após o mesmo. Nota: 9.5/10

12. Love and Afection: para finalizar o disco mais uma balada que fala exatamente sobre o que seu nome indica: amor e afeição. Tem versos belos e um refrão cativante e é uma música em sua essência relativamente simples, com um bom solo e sem muito mais a falar sobre. Nota: 8.5/10

Destaques: “Women”, “Rocket”, “Animal”, “Love Bites”, “Pour Some Sugar On Me” e “Hysteria”.

Anúncios