Kendrick Lamar é o rapper do momento, mas ele já brilhou antes de alcançar o topo do estilo com um disco redondo, cheio de faixas excelentes e a já padronizada imensa qualidade de composição anos antes com o altamente elogiado disco good kid, m.A.A.d city, do qual estarei resenhando agora.

good

5

Título: good kid, m.A.A.d city

Ano de Lançamento: 2012

Gêneros: Hip Hop, Gangsta Rap

1. Sherane a.k.a. Master Splinter’s Daughter: uma música extremamente experimental sobre religião, pobreza, amor, sexo e metodismo, tem um excelente uso de baixo, rapping competente da parte de Lamar e um excelente ritmo que agrada fácil. Nota: 9.5/10

2. Bitch, Don’t Kill My Vibe: uma música de Hip Hop com elementos de Soul tem um ritmo agradável, uma ótima performance de Kendrick Lamar e fala sobre os erros que cometemos na vida e como as pessoas podem estragar o nosso dia em grande estilo. O refrão é meio irritante mas o restante da música compensa e o saldo geral é muito positivo. Nota: 8/10

3. Backseat Freestyle: com melodia incrível e muito peso, “Backseat Freestyle” tem uma proposta de auto-ajuda próxima da de “i” do clássico instantâneo de 2015 To Pimp a Butterfly mas sem a mesma educação, por aqui abusar de palavrões pra passar a mesma mensagem como um típico Gangsta Rap, mas isso não tira o brilho da faixa, mesmo com um refrão peculiar como “eu rezo para que meu pau fique tão grande como a torre Eiffel para que eu possa foder o mundo por 72 horas”. Nota: 9/10

4. The Art of Peer Pressure: um Hip Hop tradicional de Compton com versos cantados com vocal de múltiplas camadas, tem uma quebra rítmica após 1 minuto para um instrumental mais denso onde entra o rapping de Kendrick Lamar, que fala sobre a fome de sabedoria e como lidar com a vida de forma complexa e muito bem feita. Nota: 9.5/10

5. Money Trees: uma música inspirada sobre respeito e poder, tem uma letra forte com excelente ritmo, refrão marcante e uma excelente batida. Mostra toda a criatividade de Kendrick Lamar como compositor em uma faixa muito competente e recheada de ótimas participações de outros rappers. Nota: 9/10

6. Poetic Justice: um Gangsta Rap pesado com excelente performance vocal de Kendrick Lamar e uma melodia cheia de estilo com backing vocal feminino de fundo durante toda a música falando sobre realização poética em uma faixa séria e que não desce do salto em momento algum. Nota: 10/10

7. good kid: uma música de Hip Hop com excelente instrumental, um ótimo refrão cantado por Pharrell Williams, um puta bridge e versos vigorosos, é a segunda melhor música do disco, com uma inspirada letra sobre prisão, alucinações e desejos. Nota: 10/10

8. m.A.A.d city: um Gangsta Rap pesado com excelente ritmo e uma letra poderosa e hábil rapping tem uma estelar performance vocal de Kendrick Lamar com uma forte mensagem e uma quebra rítmica forte para a participação vocal da vez com instrumental orquestrado e uma impactante letra sobre a vida no gueto. Nota: 9.5/10

9. Swimming Pools (Drank): uma música sobre introspectividade tem uma ótima letra, bom instrumental e um refrão simplista, versos viciosos e uma quebra rítmica próxima ao final que mostra um lado mais experimental da música. Nota: 8.5/10

10. Sing About Me/I’m Dying of Thirst: com um estiloso instrumental composto por guitarra, piano e batida mostra uma extrema habilidade de Kendrick Lamar em fazer Rap com um bom hook e um refrão excelente falando sobre morte, vida e auto estima de forma genial com uma fortíssima quebra rítmica na segunda metade onde a música ganha um instrumental orquestrado que é rapidamente passado para um monólogo. É uma das faixas mais fortes do disco. Nota: 9.5/10

11. Real: uma faixa de Hip Hop que começa com uma excelente melodia no refrão, um instrumental belo e psicodélico com uma forte performance vocal de Kendrick Lamar falando sobre ser real com seus objetivos e convicções e segui-los. Nota: 9.5/10

12. Compton: uma homenagem a sua cidade, é uma música com instrumental forte com toques de Jazz e uma forte performance vocal de Kendrick Lamar com uma excelente participação de Dr. Dre e um ótimo refrão que casa perfeitamente com a proposta da música em uma letra impactante e bem feita, é o ponto mais alto do disco. Nota: 10/10

Destaques: “Sherane a.k.a. Master Splinter’s Daughter”, “The Art of Peer Pressure”, “Poetic Justice”, “good kid”, “m.A.A.d city”, “Sing About Me/I’m Dying of Thirst”, “Real” e “Compton”.

Anúncios