A Tropicalia estava acabando e o Rock brasileiro precisava de um novo fôlego, que foi dado por Novos Baianos e Secos & Molhados. Duas bandas emergentes que sabiam o que faziam. Enquanto os Novos Baianos encabeçado por Baby Brasil e Pepeu Gomes fazia uma mistura Rock ‘n’ Roll, MPB e Bossa Nova, Secos & Molhados fazia um Glam Rock calcado no Progressive Rock e na experimentação. O grupo liderado por Ney Matogrosso viria a ser o pioneiro do Progressive Rock brasileiro e seu debut mostrava muito bem isso.

Muro do Classic Rock

4

Título: Secos & Molhados

Ano de Lançamento: 1973

Gêneros: Progressive Rock, Glam Rock

1. Sangue Latino: começando com sua melhor música, um Rock Progressivo belo e de letra profunda falando sobre os erros do ser humano, esbanjava criatividade e devoção com a música, contando com versos cativantes e um refrão lindo que marcou uma geração, esse mega hit brasileiro ficou na história do Rock nacional. Nota: 10/10

2. O Vira: com um excelente riff essa faixa de Glam Rock com letra divertida e psicodélica tem um dos refrões mais reconhecidos da história do Rock Nacional com uma performance vocal forte de Ney Matogrosso e um bridge e refrão cantado em coro, seguido em sua segunda aparição de um hábil solo de guitarra e uma passagem progressivo e experimental que remetia a clássica banda Os Mutantes, é mais um petardo do Rock nacional. Nota: 9.5/10

3. O Patrão Nosso de Cada Dia: um Rock Progressivo leve com influências de Pink Floyd tem uma letra complexa e difícil de ser interpretada, uma bela performance vocal de Ney Matogrosso e tem um refrão impactante e introspectivo e um belo solo de flauta em sua segunda metade onde Matogrosso mostra todo o seu poder vocal e sua teatralidade. Nota: 9/10

4. Amor: uma linda faixa de Glam Rock e Rock Progressivo com excelente baixo, violão pronunciado, mais uma letra experimental e não muito objetiva tem fortes versos e um chamarisco especial para os vocais cantados por toda a banda e um refrão marcante, seguido por um ótimo solo de gaita que apesar de curto agrega muito a beleza da faixa que termina com vocalizações impactantes de toda a banda. Nota: 10/10

5. Primavera nos Dentes: uma lenta música de Rock Progressivo com excelente instrumental e mais uma letra difícil de ser intendida mais que aparentemente fala novamente sobre os erros humanos tem vocais cantados por toda a banda e um excelente solo de guitarra. Lembra em melodia “Have a Cigar”, uma das obras primas do Pink Floyd. Nota: 9/10

6. Assim Assado: começando com uma levada bem brasileira, com baixo, chacoalhos, instrumentos de sopro e um batuque é uma música que rapidamente começa a ser acompanhada por um habilidoso riff de guitarra com uma ótima performance vocal de Ney Matogrosso falando sobre mesmice em uma faixa criativa e que ganha muito peso em sua segunda metade se tornando mais progressiva e termina com um solo de instrumentos de sopro de muito bom gosto. Nota: 8.5/10

7. Mulher Barriguda: uma veloz faixa de Rock ‘n’ Roll tradicional tem excelentes riffs e um ótimo trabalho de gaita, fala sobre gravidez de forma descontraídas e complexa, e abusa de fortes solos de baixo nas intercessões, é uma música completa e bem feita. Nota: 9/10

8. El Rey: uma inspirada faixa sobre hierarquia e genocídio, tem um ótimo violão e muito progressão e é um dos destaques do disco apesar de sua simplicidade e ser muita curta. Nota: 9.5/10

9. Rosa de Hiroshima: falando sobre a segunda guerra mundial essa bela faixa de tom pós apolítico se foca nas vitimas da bomba atômica jogada em Hiroshima com muita poesia e uma bela linha de violão. Nota: 9/10

10. Prece Cosmica: uma faixa progressiva com excelente uso de instrumentos de cordas, versos complexos e linhas vocais peculiares, faz grande uso de metáforas difíceis de ser interpretados, por mim pelo menos, fazendo uso de violino e ótimas linhas de baixo acompanhando a melodia é uma ótima música, mas a pior do disco. Nota: 8/10

11. Rondo do Capitão: com um riff dedilhado e uma bela melodia de flauta é uma música de Rock Progressivo que não tem letra muito séria ou com mensagem significante a ser passada mas ganha meu respeito pela beleza de suas melodias. Nota: 9/10

12. As Andorinhas: uma curtíssima música de Rock Progressivo com letra poética e um lindo instrumental, é uma faixa forte e impactante que se destaca dentre a maioria do disco. Nota: 9.5/10

13. Fala: uma balada de Rock Progressivo com belas melodias vocais que fala sobre se expressar tem um belo uso de piano e um andamento leve e calcado do Glam Rock fechando o disco com chave de ouro e um refrão cativante. Nota: 9/10

Destaques: “Sangue Latino”, “O Vira”, “Amor”, “El Rey” e “As Andorinhas”.

Anúncios