O segundo disco do Black Sabbath supera com folga seu debut, com melodias mais elaboradas e uma melhor performance de todos os membros da banda, exibindo clássicos inesquecíveis e faixas de sonoridade única para a época dando ênfase ao nome de avós do Heavy Metal que carinhosamente receberam dos fãs.

front

5

Título: Paranoid

Ano de Lançamento: 1970

Gênero: Heavy Metal

Menos ocultista que o primeiro disco, Paranoid começa com o clássico “War Pigs” que faz uma forte crítica social e acompanha fortes riffs e uma ótima performance vocal de Ozzy Osbourne. A faixa é seguida pela empolgante “Paranoid” que é o maior clássico da carreira da banda com riff veloz e vocal destacada falando sobre separar de sua mulher por estar enlouquecendo, é uma música que marcou sua geração. A terceira faixa do disco é a viajante “Planet Caravan” que é uma das duas faixas do disco escrita sob efeitos de drogas, com uma letra interessante e um grande apelo psicodélico, é uma música que não decepciona, e é seguida por “Iron Man” que rivaliza a faixa título como a faixa mais popular já lançada pela banda, com seu tradicional riff cadenciado esbanjando peso e um vocal muito característico de Ozzy Osbourne nessa época.

A segunda metade do disco é aberta por outro clássico, chamado “Electric Funeral”, contando com uma sonoridade peculiar e um clima sombrio em sua letra, é uma grande faixa de Heavy Metal. Ela é sucedida pela música “Hand of Doom”, com seu instrumental característico e peso crescente, transita entre múltiplas melodias causadas por quebras rítmicas em seus longos 7 minutos de duração, sendo seguida pelo instrumental “Rat Salad” que demonstra toda a habilidade dos instrumentistas com maestria, se focando principalmente no baixo de Geezer Butler e a pesada bateria de Bill Ward.

O disco é finalizado por sua melhor música que também é uma das melhores da carreira da banda, nomeada “Fairies Wear Boots”, com riffs insanos e uma psicodélica letra, é a segunda faixa feita sob efeito de drogas pela banda, com uma excelente performance vocal de Ozzy Osbourne que apesar de aqui soar muito nasal surpreende com muito senso rítmico.

E assim eu termino a resenha faixa a faixa do considerado por muitos melhor disco da história do Heavy Metal, sem nenhum exagero da parte dos mesmos, por ser um álbum recheado de clássicos eternos e imortais que marcaram toda uma geração de músicos na época emergentes como Nazareth, Deep Purple e Judas Priest.

Destaques: “War Pigs”, “Paranoid”, “Iron Man”, “Electric Funeral”, “Hand of Doom” e “Fairies Wear Boots”.

Anúncios