Após sua saída do Misfits, Glenn Danzig fomou sua própria banda com uma aproximação completamente diferente da anterior. Danzig é uma banda de Heavy Metal carregada nas costas por seus riffs fortes, temas sombrios e vocal contagiante. Veja o que eu tenho a falar sobre o debut da banda.

danzig

5

Título: Danzig

Ano de Lançamento: 1988

Gênero: Heavy Metal

O disco pode ser dividido em duas metades, a ótima e a espetacular, e dessa forma farei essa resenha.

Ótima: composta pela pesada “Twist of Cain” que tem uma letra polêmica e blasfema, com versos fortes e um bom refrão, “She Rides”, uma faixa sexual e de ritmo galopante que conta com uma ótima performance vocal de Danzig e uma letra infame, “Possession”, que fala sobre o poder de se apoderar da alma de um ser humano com ótimo ritmo nos versos e um refrão simplista, a soturna e pesada “End of Time” que também conta com uma performance vocal notável de Danzig e uma letra polêmica e a tradicional “The Hunter” que traz a mesa um Heavy Metal clássico e bem situado, composto de vocais arrastados e um ótimo riff.

Espetacular: composta pela agressiva e pesada “Not of This World”, a sombria faixa de Heavy Metal tradicional “Soul on Fire”, o incrível petardo do Heavy Metal com riff incrível e uma poderosa performance vocal de Glenn Danzig “Am I Demon”, a clássica música da banda “Mother” com sua famosa letra aconselhando aos pais dos filhos a impedirem eles de seguir o que Danzig fala e a cadenciada “Evil Thing” que abusa de riffs grudentos e uma divertida performance de Danzig para falar sobre uma pessoa maligna.

Corretamente dividido em duas metades, eu chego a conclusão que o disco é instável dentro de sua excelência e peca pela simplicidade em parte de suas músicas, enquanto triunfa na diversão e apelo tradicional em outras.

Destaques: “Not of This World”, “Soul on Fire”, “Am I Demon”, “Mother” e “Evil Thing”.

Anúncios