Os Mutantes é a maior banda de Rock da história desse país e lançou inúmeros discos memoráveis, sendo dele o mais popular o auto intitulado Mutantes, que trouxe cargas e mais cargas de boa música exacerbando os enormes talentos de seus integrantes.

100_9349

5

Título: Mutantes

Ano de Lançamento: 1969

Gêneros: Psychedelic Rock, Prog. Rock, Art Rock

O disco é aberto pela cativante música de Prog. Rock “Don Quixote”, que mistura o ritmo já mencionado a Psychedelic Rock pra formar uma sonoridade densa e divertida. A música é seguida pela rocker “Não Vai Se Perder Por Aí”, que tem um tom descompromissado e animado com um ótimo riff e uma ótima performance vocal de Rita Lee. Seguindo com o álbum temos “Dia 36”, uma faixa psicodélica e carregada com boa letra e um estilo parecido com a música “Planet Caravan” do Black Sabbath com um ar soturno e melancólico. “2001”, com fortes influências de música nordestina, e´uma faixa variada e que mostra uma exímia performance da parte de todos os membros da banda, sendo seguida por “Algo Mais”, uma contagiante faixa de Prog. Rock com excelente refrão e andamento divertido.

Começando a segunda metade do disco vem a espetacular “Fuga Nº II” com versos carismáticos e belos, além de um ótimo refrão que mostra toda a experimentação que a banda tinha na época. Ela é seguida por “Banho de Lua”, um clássico da banda que é versão de uma música italiana “Tintarella Di Luna”, criada por Celly Campello em 1960 e ganhando uma nova roupagem no disco Mutantes, mais pesada e com maior ênfase no psicodelismo. O disco segue com “Rita Lee”, uma bonita homenagem a vocalista da banda com elementos de Blues, Jazz e Easy Listening. “Mágica” é uma faixa de Rock Psicodélico com um bom instrumental e uma sonoridade bem viajada, enquanto “Qualquer Bobagem” é uma música mais simplista e leve com letra interessante e a  levada de uma mistura de Rock tradicional e  Rock Psicodélico, transitando entre os dois estilos com competência.

O álbum fecha com “Caminhante Noturno”, uma atmosférica música de Prog. Rock com bela melodia e um refrão carismático e muito bem feito.

O segundo disco dos Mutantes é considerado pela crítica especializada internacional um dos melhores discos já feitos na história da música brasileira e recebe esse título com louvor e merecimento inquestionáveis.

Destaques: “Dia 36”, “2001”, “Algo Mais”, “Fuga Nº 11” e “Qualquer Bobagem”.

Anúncios