Em seu trabalho mais pesado o Immortal abusou do mais puro Black Metal para agradas os fãs de Metal Extremo em sonoridades intensas e músicas que marcaram o início dos anos 2000 com vigor e brutalidade.

sons.jpg

4

Título: Sons of Northern Darkness

Ano de Lançamento: 2002

Gênero: Black Metal

One By One é uma extrema faixa de Black Metal com excelente instrumental e uma abordagem tempestuosa e sem pretensões técnicas, com vocal extremamente agressivo, muita velocidade, peso, e uma das mais marcantes quebras rítmicas da carreira da banda tornando-a uma faixa cadenciada. Ela é seguida pela faixa título Sons of Northern Darkness, que apresenta um espetacular trabalho da parte do baterista, uma violenta performance vocal que é iniciada com um poderoso grito e um refrão marcante que mostra toda a eficácia da banda em criar músicas que mesmo brutais cativam. Tyrants é uma música cadenciada e arrastada com ótimo vocal, letra bem feita e versos bem construídos com vocais agressivos e muito rasgados que mostram uma banda afiada e que sabe o que está fazendo. Demonium é minha faixa favorita do disco, com velocidade alta e extremo peso tem como seus trunfos um instrumental técnico e diverso, uma letra sombria e um vocal brutal, porém contagiante, em uma música que é marcada por sua quebra rítmica que separa os versos dos refrões.

A faixa que segue se chama Within the Dark Mind e não apresenta grande velocidade como as músicas anteriores, com influências de Doom Metal e um potente vocal que domina a faixa sendo acompanhado por um pesado e hábil instrumental. In My Kingdom Cold é uma veloz e intensa faixa de Black Metal com vocal visceral em uma excelente performance de Abbath mostrando que os noruegueses não estão aqui pra brincadeira, com inúmeras e ótimas quebras rítmicas e um refrão ríspido e que esbanja agressividade e ferocidade. Antarctica segue o disco com uma entrada atmosférica e sombria que abre espaço para uma desmedida faixa de Black Metal que apresenta um instrumental de muito bom gosto, versos constantes e truculentos e ótimas quebras rítmicas em um abordagem épica e que não decepciona. Beyond The North Waves fecha o disco com poder em uma violenta música que começa com mais uma entrada atmosférica e logo se torna um tempestuoso e pesado Black Metal que demonstra grande habilidade de todos os membros envolvidos em uma faixa que marca por seu tom progressivo e sonoridade crescente e ensandecida com a melhor performance de Abbath no disco.

Destaques: One By One, Sons of Northern Darkness, Demonium e Antarctica.

Anúncios