O quarteto de New England Earthside lançou em 2015 seu primeiro trabalho, que é focado em um Prog. Metal limpo, muitas vezes apenas instrumental e com toques fortes de Prog. Rock e nuances mais puras do gênero, apresentando um trabalho orquestrado e grandioso.

a2220009983_10

4

O disco começa com um instrumental bem legal chamado “The Closest I’ve Come” que mostra uma grande gama de influências, muita complexidade e um grande carisma da parte do quarteto em uma música bem longa mas que em momento algum se torna cansativa. Ela é seguida pela incrível “Mob Mentality”, que abusa de seus elementos de música clássica em um complexo épico de quase 10 minutos com letra impecável e uma excelente performance vocal do vocalista do Sevendust em uma faixa profunda e densa que mostra todas as suas faces em sua excessiva duração de beleza única. A seguir temos “A Dream In Static”, uma delicada música de Prog. Rock que exala profundidade e maestria vocal e instrumental em seu decorrer que é encantador e inspirador, sendo a melhor música do disco, especialmente pela estelar e impressionante performance vocal de Daniel Tompkins. “Entering the Light” é uma misteriosa e muito abstrata música de Prog. Rock mostrando diferentes facetas da banda em sua essência que traz algo novo, fresco e vigoroso.

Em “Skyline” são nítidas as influências de Dream Theater, em um instrumental de enorme duração que conta com quebras rítmicas, mudanças de tom e de velocidade a todo o tempo e surpreende por ainda ter espaço e cacife pra mostrar delicadeza em suas raízes fincadas no Prog. Metal. “Crater” conta com a participação de Björn Strid, que traz muita intensidade aos excelentes vocais da música que requerem um vocalista poderoso pra serem suportadas em sua montanha russa sonora que exige versatilidade e habilidade. A letra é ótima e a melodia é incrivelmente cativante. “The Ungrounding” é a faixa mais pesada e agressiva do disco, e aparenta que os membros da banda se divertiram bastante gravando ela, pois ela serve de showcase pra habilidade de cada um e exibe o máximo de técnica atingido pela banda até então. Pra finalizar o trabalho temos “Contemplation of the Beautiful”, a música mais longa de todo o trabalho, beirando 12 minutos em sua complexa e infame duração que exibe uma performance vocal metódica e que em certos momentos lembra o trabalho de Devin Townsend hoje em dia por fazer uma enorme mistura entre vocais limpos e vocais berrados e rasgados e deve agradar a todos os fãs de nosso amado careca.

Destaques: “Mob Mentality”, “A Dream In Static”, “Crater” e “Contemplation of the Beautiful”.

Anúncios