Em seu melhor trabalho desde o vindouro Black Sun (2002), Ralf Scheepers e companhia lançam um disco impactante, com uma espetacular performance vocal do mesmo e instrumentais demonstrando coesão e bom gosto.

rulebreaker

4

Título: Rulebreaker

Ano de Lançamento: 2016

Gêneros: Power Metal, Heavy Metal

O disco começa com a incrível “Angels of Mercy”, que apesar de uma entrada aparentemente Industrial é Power Metal puro e muito forte, com uma performance vocal abusando de drives por Ralf Scheepers e acima de tudo um dos refrões mais carismáticos que a banda já fez. “The End Is Near” mantem o pique em alta qualidade e tem uma rasgada performance vocal de Ralf Scheepers com notas muito altas no refrão, contando com uma boa letra e uma melodia cativante. “Bullets & Tears” é uma faixa menos interessante que as duas anteriores, mas Ralf Scheepers faz bonito no vocal e a diversão continua garantida. “In Metal We Trust” é um icônico hino de Heavy Metal com nítida referência aos Metal Gods do Judas Priest, além de contar com um refrão grudento, uma imaculada performance vocal de Scheepers e um insano logo de guitarra. A letra é meio boba mas isso acontece em praticamente todas as músicas que querem soar como hinos do estilo. Manowar que o diga.

“We Walk Without Fear” é a música mais longa do disco, ultrapassando impressionantes 10 minutos, com uma entrada atmosférica épica que é quebrada após quase dois minutos para a entrada de um Power Metal vigoroso e divertido, com excelente instrumental, uma letra interessante e um imensamente habilidoso vocal de Scheepers em uma música que definitivamente não foi feita para passar despercebida. “At War with the World” é uma faixa divertida e simplista que tem uma proposta de Heavy Metal tradicional muito agradável mas que não se destaca no disco. “The Devil In Me” é caprichada, com instrumental bem feito e cadenciado, com uma característica parada da guitarra para deixar o vocal suportado apenas por baixo e bateria, com riffs entrando na segunda metade de cada verso, contando também com um bom refrão bem feitinho mas que não chama muito a atenção. “Constant Heart” é uma música do mais puro Heavy Metal, com riffs alucinantes, uma excelente nota alta de abertura, bateria tinindo, vocais rasgados nos versos e um gritado refrão que fica repetindo o nome da música com as características notas altas de Scheepers. “The Sky is Burning” é uma inspirada música de Power Metal com uma entrada leve que lembra vagamento “Fade to Black” “One” do Metallica, logo ganhando peso para um vigoro refrão que esbanja bom gosto. “Raving Mad” é uma música que requer muito poder vocal para ser cantada, por sua abordagem extremamente aguda e o refrão agressivo e impactante, chegando muito perto de ser um destaque do disco, mas pecando pela repetição, sendo a última faixa do trabalho.

Destaques: “Angels of Mercy”, “The End Is Near” e “In Metal We Trust”.

Anúncios