A banda italiana de Power Metal Odyssea vem crescendo com o passar dos anos tanto em importância na cena local como em qualidade e Storm é a prova pura de que a banda tem muita lenha para queimar pela frente.

Odyssea - Storm (2015).jpg

3

Título: Storm

Ano de Lançamento: 2016

Gêneros: Power Metal, Heavy Metal

Começando com a energética música “No Compromise” os italianos capricham em um Power Metal polido e cheio de ótimos riffs, mostrando muito bom gosto para a escolha dos riffs bases e sendo uma faixar poderosa. “Anger Danger” da continuidade ao trabalho com uma música animada e com letra muito inspirada, além de fazer uso de belas melodias em seu operático refrão. “Understand” conta com um instrumental base muito bem feito e uma boa performance vocal, acompanhados de uma letra bem feita e um refrão cativante. “Ice” é a música seguinte, e é uma faixa de Heavy Metal muito moderna, com excelentes riffs, uma certa progressão e um belo vocal feminino fazendo dueto com o vocalista da banda em uma música intrincada no melódico com um ótimo refrão. “Freedom” tem um instrumental inovador, muita velocidade e um andamento animado que mostra a banda em um pico criativo com uma sonoridade sólida e bem feita. “Galaxy” é uma bela Power Ballad de ótimo gosto, com um ritmo vivo e contagiante, e versos e refrão muito cativantes.

“Storm” abre a segunda metade do trabalho com técnica, principalmente na intensa bateria, mas pecando nos versos que estão meio fora de ritmo e sem conseguir cativar, sendo a pior faixa do trabalho. “Ride” tem uma entrada bonita e atmosférica com um belo cantarolar feminino, que após alguns minuto se cessa para a entrada de uma poderosa performance vocal nessa carismática e divertida música. O trabalho segue com “Tears of the Rain”, uma música simplista e que está dentro da zona de conforto dos italianos, não conseguindo se destacar muito por esse motivo. “Apocalypse Part II” é uma intensa música de Power Metal que lembra bastante bandas de Chiptune Metal por sua base rítmica semelhante aos sons de um vídeo game, ganhando um tom erudito em seu decorrer com um trabalho magistral de sintetizadores. “Fly” é uma música divertida e marcante, com uma excelente performance vocal e uma letra relativamente genérica, acompanhada de um riff que exibe grande profissionalismo da parte dos instrumentistas e um refrão que não é dos mais inspirados. “Compromise” fecha o disco com peso, em uma música divertida e cheia de energia, com excelentes versos e um alegre refrão que é seguido de um ótimo solo de teclado. A música também conta com uma das melhores letras do disco, mas sem se arriscar muito.

Destaques: “Understand”, “Freedom”, “Galaxy” e “Ride”.

Anúncios