Sinopse: John Gregory (Jeff Bridges) é o sétimo filho do sétimo filho e mantém uma cidade do século XVIII relativamente bem e longe dos maus espíritos. No entanto, ele não é mais jovem e suas tentativas de treinar um sucessor foram todas mal sucedidas. Sua última esperança é um menino chamado Thomas Ward (Ben Barnes), filho de um jovem fazendeiro. Seu primeiro desafio será grande: Ele terá que enfrentar a Mãe Malkin (Julianne Moore), uma terrível e poderosa bruxa, que escapou do seu confinamento quando o grande mestre Gregory estava afastado da cidade.

SS-A1S-IMAX-31-DEC

2

Título: Seventh Son (O Sétimo Filho)

Ano de Lançamento: 2014

Gêneros: Fantasia, Aventura

Vulgarmente baseado na obra Seventh Son, um livro de 1987 que conta a história do sétimo filho do sétimo filho, esse filme infelizmente peca cruelmente em apostar de “empréstimos” em estilo de outros filmes como Senhor dos Anéis, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Blade: O Caça Vampiros e a série Game of Thrones em um roteiro repetitivo que não permite que Juliane Moore exiba todo o seu potencial como atriz. Sendo um filme que é movido a cópias, aqui não a espaço para originalidade e quase toda cena da aquela sensação de “eu já vi isso antes”, além de contar com protagonistas sem carisma, alguns furos imperdoáveis como a origem do Sétimo Filho e aquele velho clichê de abordagem onde há um mentor e um aprendiz guerreando contra forças do mal. Ainda por cima colocam no filme o excelente ator Kit Harington, um dos protagonistas de Game of Thrones, em um personagem inexpressivo e que morre cedo.

Batido e previsível, o filme não me surpreendeu em momento algum e não pareceu fazer questão disso nem um minuto, tornando a experiência de assisti-lo ainda mais cansativa e tediosa. Está longe de ser um dos piores filmes de fantasia que já vi, afinal, seus efeitos e direção são extremamente fortes, mas contando com mais pontos fracos do que fortes o diretor Sergey Bodrov entrega um trabalho indigesto e que pode facilmente ser deixado de lado e nunca assistido. Resumindo, não recomendo.

Melhor Cena: a batalha contra o demônio da floresta.

Anúncios