Em um de seus grandes clássicos o Manowar se vendeu a um som mais radiofônico e o resultado final marcou negativamente o Metal do fim dos anos 80 com o disco Fighting the World.

Fighting The World

2

Gêneros: Heavy Metal, Power Metal

A primeira música do disco é a faixa título, um clássico dos guerreiros novaiorquinos, com diversão garantida em seu energético ritmo com bons riffs e uma ótima performance vocal de Eric Adams. “Blow Your Speakers” é uma música que fala sobre ser radiofônico, com intensos riffs e uma sonoridade contagiante e que diverte principalmente em seu irreverente e cada vez mais gritado refrão. “Carry On” é uma animada balada de Heavy Metal com ritmo contagiante e um excelente refrão gritado. É uma música simples mas marcante e com uma bela letra.

“Violence and Bloodshed” é uma faixa agressiva, como poderia ser com esse nome? É uma música veloz e contagiante com excelente instrumental e uma ótima interpretação de Eric Adams. “Defender” é uma música monologada que não chama a atenção. Merece ser pulada. Eric Adams demora demais pra começar a cantar e isso torna a faixa meio cansativa. “Drums of Doom” é uma apocalíptica intercessão que encerra a segunda metade do disco.

“Holy War” é uma pesada música com vocais meio ridículos, uma letra trivial e um instrumental que explora pouco as habilidades dos membros, além de um refrão que destoa do restante da música. “Master of Revenge” é uma marcante entrada para a melhor música do trabalho, a extrema “Black Wind, Fire and Steel”, com um dos toques de baixo mais velozes que eu já ouvi na vida, um carismático refrão, um retorno gritadíssimo após o solo e um grito final com dezenas de segundos de duração.

Destaques: “Blow Your Speakers”, “Violence and Bloodshed” e “Black Wind, Fire and Steel”.

Anúncios