Ao contrário de Endgame (2009), que era um disco de puro Thrash Metal, TH1RT3EN tentou ser mais diverso e radiofônico e marcou uma queda em qualidade no som do Megadeth.

TH1RT3EN.jpg

3

Gêneros: Heavy Metal, Thrash Metal

“Sudden Death” abre o disco com muito peso e técnica em uma faixa forte, abordando um som de Thrash Metal polido e caprichado. “Public Enemy No. 1” é o hit do disco, sem muito merecimento. É uma música bem genérica e simples, com uma melodia repetitiva e um refrão bem fraco. “Whose Life (Is It Anyways?)” é uma divertida música de Thrash Metal com bons riffs e uma bateria bem proeminente, apostando em uma sonoridade radiofônica e de fácil assimilação pra agradar. “We The People” é uma música sobre o patriotismo americano, com excelentes riffs, uma pegada animada e cativante, uma ótima letra politizada e um excelente refrão. “Guns, Drugs & Money” fala sobre o mundo do crime de forma medíocre, com uma letra que deixa muito a desejar e um instrumental que cheira a auto-plágio e muito puxado para Hard Rock pra uma música do Megadeth. “Never Dead” é a melhor música do disco, com um instrumental veloz e pesado e muitas quebras rítmicas, tendo um clima ensandecido no núcleo da faixa e agradando facilmente a todos os fãs de longa data do Megadeth… bom, pelo menos a mim agradou bastante.

“New World Order” é uma música genérica com uma letra paranoica e sem muito sentido, apesar de ter uma boa melodia que é desperdiçada em um assunto tão mítico e de gosto duvidoso. “Fast Lane” da continuidade ao disco com ótimos riffs, mas uma letra chata e clichê, e uma melodia parecendo uma cópia de Motörhead em seus tempos vindouros. “Black Swan” é uma música decente, com um bom solo de entrada, andamento bem construído e um bom refrão, mas não impressiona. “Wrecker” é uma música pesada e de grande qualidade, com um ótimo instrumental e uma melodia moderadamente cativante. “Millennium Of The Blind” é uma inspirada música de Heavy Metal com belos solos, uma boa performance vocal de Dave Mustaine que consegue fazer uma interpretação melancólica e emocional aqui. “Deadly Nightshade” da continuidade ao trabalho com boas doses de peso, uma letra decente, uma boa linha de baixo e uma interpretação legal de Mustaine. Mas não espere muita coisa, não é nada demais. O disco fecha com a faixa título, “13”, uma atmosférica música de Heavy Metal com bons versos e um vocal impactante de Mustaine especialmente na parte acapella do início da música, não surpreendendo com um refrão razoável.

Destaques: “We the People”, “Never Dead” e “Millennium of the Blind”.

Anúncios