Em seu primeiro disco de estúdio o Jane’s Addiction mostrou uma das sonoridades mais completas e inovadoras dos anos 80 enriquecendo as prateleiras com pura qualidade, e é claro, o bolso dos membros com muito sucesso.

janes-addiction-nothings-shocking-album-artwork

5

Gênero: Experimental, Alt. Metal, Alt. Rock

“Kettle Whistle” é uma entrada atmosférica e muito experimental, apresentando apenas instrumental e vocalizações, com uma boa performance de todos os membros envolvidos com a genialidade já começando na abertura. “Up the Beach” é uma música de Metal Alternativo intensa, com um excelente instrumental, muita progressão, uma ótima performance vocal de Perry Farrell e mais experimentação com uma melodia delirante. “Ocean Size” é uma das melhores músicas do disco e mostra uma banda afiada que abusa de peso e diversão, com excelentes vocais de Perry Farrell e um refrão incrível. “Had a Dad” tem o melhor riff de todo o disco e é uma música quase dançante, com vocal viajante e poderosos solos, além de um ótimo refrão. Recusa introduções. Se tornou um clássico da banda com o passar do tempo e tem pitadas de Hard Rock para ser mais acessível. “Ted, Just Admit It…” é uma faixa diferente sobre sexo com instrumental muito básico, uma ótima linha de baixo e um ritmo calmo, optando por um caminho de Rock Alternativo com apenas um cantarolar de Farrell em boa parte da música, mas sessões cantadas após alguns minutos com mais uma viajante melodia. “Standing In The Shower… Thinking” é uma excelente música de Metal Alternativo, com excelentes performances dos instrumentistas e uma cativante interpretação de Farrell.

“Summertime Rolls” é uma longa faixa de Rock Experimental que começa muito quieta e com um doce cantar de Farrell, após um curto tempo ganhando intensidade e se tornando mais completa, sem deixar o feeling Avant-Garde de lado. “Mountain Song” não é só a melhor música do disco, mas também a melhor música lançada pela banda até hoje, e se tornou um hit mundial na época que foi lançada apesar de suas esquisitices, provavelmente pelo carismático refrão. “Idiots Rule” é uma faixa de Metal Alternativo que tem influências até de Jazz, uma ótima performance vocal de Farrell que parece ter se divertido muito ao gravar a música. “Jane Says” é a melhor balada da banda até hoje, falando sobre uma ex-namorada de Perry Farrell, com uma cativante performance vocal e excelentes riffs de violão, além de um refrão memorável. “Thank You Boys” é uma música instrumental com influência de Lounge só pra dar aquele charme pro fim do disco. Ele é finalizado com a divertida e pesada “Pig’s In Zen”, com uma boa letra, um vocal menos viajado que o da maioria do disco e uma abordagem mais puxada pro Hard Rock, mais acessível, e além disso irreverente.

Destaques: “Ocean Size”, “Mountain Song” e “Jane Says”.

Anúncios