Sinopse: Os grandes amigos Seth Rogen e Jay Baruchel vão em uma festa na casa do ator James Franco, que reuniu diversas celebridades no local, como Jonah Hill, Rihanna, Jason Segel e Emma Watson. Tudo corria bem até que um aparente terremoto se revela como sendo o dia do julgamento final. Rogen, Baruchel, Franco, Hill, Danny McBride e Craig Robinson acabam se vendo presos no local na torcida para que o mundo pare de acabar do lado de fora.

21033541_20130830224455231

4

Título: É o Fim

Características: Hilário, Vulgar, Criativo, Inteligente, Inovador, Caótico, Intenso

Direção: Evan Goldberg e Seth Rogen

Ano de Lançamento: 2013

Gêneros: Comédia, Thriller

É o Fim se passa no Apocalipse, onde um grande grupo de famosos presencia os acontecimentos bíblicos de forma humorosa em uma festa na casa de James Franco. O filme reúne os melhores atores de comédia da atualidade e tem um roteiro hilário, agressivo, hilariante, que usa de humor inteligente e boas sacadas e tem um tom inovador no gênero. O elenco é brilhante e todos estão em grandes performances e o ritmo do filme é caótico e intenso em uma mistura de Comédia vulgar e Thriller alucinante. Algumas das cenas mais engraçadas envolvem James Franco, Michael Cera e Rihanna com um humor ácido e nada trivial. O longa conta com alguns monstros e um puro instinto de sobrevivência, com um ator especial (sem spoilers) não colaborando muito com o coletivo. O desfecho é extremamente criativo, com a presença inclusive de Lúcifer, e eles descobrem que eles passaram todas as suas vidas sendo péssimas pessoas e está na hora da redenção. A estória é bem escrita, a fotografia excelente, os efeitos especiais sensacionais, a direção de arte primorosa e que devia servir de exemplo para outros filmes de comédia. A trilha sonora é boa, a edição de som bem feita e a edição de vídeo é ágil e hábil, com cortes nos momentos certos para um maior envolvimento na mitologia da trama. É um filme recomendado para todos os fãs de uma boa comédia e eu tenho certeza que você não vai se decepcionar com as reviravoltas, sacadas brilhantes e o épico fim. Escolha do Editor nele.

Melhor Cena: Jonah Hill fica possuído e faz inúmeras referências a O Exorcista (1973).

Anúncios