Sinopse: O filme, que tem conexão direta com o final do derivado latino Marcados pelo Mal, mostrará a família de Ryan, formada por sua esposa Emily, sua filha de seis anos Leyla e Mike, seu irmão mais novo. Ryan é um “garotão”, que foi transferido de Nova York para Palo Alto por conta de um trabalho na Rockstar Games. Emily é uma neohippie, amante da arte, música e da comida orgânica, que perdeu a irmã há um ano. Logo, a família descobre que existe algo de errado com a sua nova casa. Katie Featherston, protagonista do primeiro filme, deve mais uma vez aparecer como Katie.

atividade-paranormal-dimensao-fantasma_t56679_jpg_290x478_upscale_q90.jpg

2

Título: Atividade Paranormal – Dimensão Fantasma

Características: Fantasioso, Inventivo, Exagerado, Caricato, Bobo

Direção: Gregory Plotkin

Ano de Lançamento: 2015

Gêneros: Fantasia, Horror

Review

Não é dos mais inspirados da série, já começo dizendo isso. A saga resolveu tomar um rumo absurdo de vez e lança um filme que é próximo de ser o pior da série, mexendo com múltiplas dimensões e abusando de 3D sujo para tentar angariar mais sustos. O filme é futurista e pende mais pro lado da Fantasia que do Horror, não sendo nem um pingo assustador. Os personagens não tem carisma e em nenhum momento me importei com eles, e o diretor tenta o tempo todo colocar um elo entre as irmãs dos primeiros filmes e essa nova família. Os efeitos especiais são bobos e não causam impacto algum, e é tudo muito fantasioso e caricato, com exageros de sobra e uma inventividade nunca vista na série, no mal sentido. Eu me senti assistindo um episódio ruim de Scooby-Doo, só pra ilustrar melhor o quão improvável e absurdo é o longa. É possível ter alguns momentos de diversão com ele mas eles são bem escaços e o resultado final não é satisfatório. A fotografia é a melhor da série, não há trilha sonora, a edição de som é excelente e a de vídeo razoável e esses aspectos técnicos bons salvam o filme de uma perda total. Ao fim do filme há um pouco de ação, mas de resto, é parado demais e tedioso e os efeitos especiais ridículos me incomodam. Além disso, mais sustos apelativos vem por aí.

Melhores Momentos

O retorno da entidade Toby, presente na maioria dos filmes anteriores. Toby faz a menina tentar queimar uma bíblia. Leyla usa a flauta pra fazer um som aterrador. Toby ataca o padre e o pai da menina no fim do filme.

Anúncios