Super

4

Título: Super

Características: Festivo, Dançante, Divertido, Empolgante, Contagiante

Ano de Lançamento: 2016

Gênero: Eletrônica, Europop, Rave, Dance

Tracklist:

1. “Happiness” 4:04
2. “The Pop Kids” 3:55
3. “Twenty-something” 4:22
4. “Groovy” 3:29
5. “The Dictator Decides” 4:50
6. “Pazzo!” 2:44
7. “Inner Sanctum” 4:18
8. “Undertow” 4:15
9. “Sad Robot World” 3:18
10. “Say It to Me” 3:08
11. “Burn” 3:53
12. “Into Thin Air” 4:17

Review

Em um dos trabalhos mais contagiantes de sua longa carreira, o Pet Shop Boys lançam em 2016 o inovador Super, um disco oitentista e moderno ao mesmo tempo, com excelentes batidas, exímio uso de sintetizadores e músicas dançantes e animadas que levariam as pessoas de uma rave à loucura. Abrindo com a faixa “Happiness”, o trabalho começa básico e sem muita experimentação, com uma batida agradável e um refrão contagiante. Pouco tempo depois temos “Twenty-something”, uma faixa um pouco brega mas que é aquela diversão que nos fingimos que não gostamos só pra fazer pose de exigente, sabe? Pois bem. Ela é contagiante e divertida, com excelentes versos e um refrão inspirado. “Groovy” da continuidade ao disco com uma música rave alucinada, com a nata do eletrônico em sua especial melodia, que não deixa dúvidas que aqui estamos lidamos com profissionais em fazer boas batidas e excelente uso de sintetizadores e teclado. “Pazzo!” é uma música muito moderna, com enfase na mistura entre uma sonoridade básica e ainda sim contagiante e um dos melhores efeitos de sintetizador dos anos 2000, fazendo Daft Punk corarem. “Inner Sanctum” é uma música Eletrônica bem tradicional, com pouco espaço para experimentação e um ritmo alegre e dançante, além de grandioso por seus incríveis vocais. “Undertow” vem a seguir com uma abordagem mais moderna e festiva, com mais excelentes vocais e uma especialíssima progressão que anda lado a lado com a cativante letra. “Say It to Me” é na minha humilde opinião, a melhor música do trabalho, com uma sonoridade contagiante, excelentes versos e um refrão fenomenal, acompanhado de batidas bem Dance e que funcionariam muito bem em uma rave ou festa eletrônica. “Burn” é muito focada em Europop, com uma melodia vasta, bons momentos vocais e uma contagiante batida. O álbum fecha com a épica “Into Thin Air”, uma música mais obscura que as outras, lembrando vagamente uma mistura entre Ghost e Depeche Mode, só que com originalidade nítida e latente.

Destaques

“Happiness”, “Inner Sanctum” e “Say It to Me”.

Anúncios