Sinopse: Após uma emboscada organizada pela polícia, Jason (Kane Hodder) supostamente morre. Mas, o mal sempre encontra um meio de existir. Jason passa a assumir várias rostos e formas com o intuito de encontrar um “parente”.

c02cf90d530ea4fdbb7658a4de2a2916_jpg_290x478_upscale_q90.jpg

2

Gênero: Terror

Dirigido por Adam Marcus.

Protagonizado por John D. LeMay e Kary Keegan.

Em um dos piores filmes da franquia, Jason aqui é morto e passa a entrar no corpo de outras pessoas para cometer seus assassinatos,  em busca de pessoas que tem o seu sangue nas veias em uma estúpida reviravolta que diz que Jason tem uma irmã e duas sobrinhas, e que só elas podem mata-lo ou darem vida à ele.. É ridículo colocar personagens de tamanha importância em pleno o nono filme, mas acontece, e não é nada legal. A proposito, as parentes de Jason não cativam e eu não me importei nem um pouco com o sofrimento delas. É muito ambíguo e não convence.

Os efeitos especiais são fracos e as mortes, as menos interessantes da série, prejudicando mais ainda o filme com suas características técnicas limitadas e sem foco. Até mesmo a filmagem tem seus defeitos e parece que a produção fez o filme com pouco caso e o orçamento baixo não ajuda. Como cereja do bolo, temos um caçador de recompensas a procura de Jason e ele fez uma tórrida interpretação de anti-herói. O longa não consegue surpreender em nenhum aspecto e isso o deixa na pior.

Se você é masoquista, veja à vontade, mas qualquer pessoa com bom senso e uma paciência no mínimo razoável vai perder as estribeiras com a ridiculosidade da trama deste longa, então, chegamos à conclusão que eu não recomendo esse filme e de nenhuma forma o acho atrativo, apenas não ganhando nota mínima porque essa fica para o oitavo e décimo filme. Espero que tenham gostado do review, curtam e compartilhem pra ajudar o blog e aquele abraço.

Melhor Cena: Jason ataca o restaurante.

Maior Destaque: Falta de sentido.

Anúncios