Sinopse: Após a notícia do assassinato do detetive Kerry, os agentes Strahm (Scott Paterson) e Perez (Athena Karkanis) chegam à delegacia de polícia, que está vazia. Strahm e Perez são oficiais veteranos do FBI, sendo especialistas em traçar perfis psicológicos de criminosos. Eles ajudam o também veterano detetive Hoffman (Costas Mandylor) a examinar o mais recente jogo de Jigsaw (Tobin Bell). Porém quando o comandante Rigg (Lyriq Bent), o último oficial ainda intocado por Jigsaw, é sequestrado, os detetives iniciam uma busca pela cidade à sua procura. Paralelamente Rigg precisa lidar com o jogo criado, tendo apenas 90 minutos para superar as armadilhas para ele criadas.

 flgE8ikV7k7X82Sx4vyt8b1F9f3

2

Título: Jogos Mortais IV

Direção: Darren Lynn Bousman

Ano de Lançamento: 2007

Gênero: Horror

Review

O quarto filme da franquia e continuação direta do terceiro é o mais confuso de todos, trazendo um novo assassino com grandes motivações, mas mortes que poderiam ser mais elaboradas. Jigsaw e Amanda estão mortos, e é muito randômico o novo assassino, com armadilhas menos elaboradas ainda. A premissa do filme é renovar uma série que já devia ter acabado, e é certamente por isso que ele é desinteressante. Uma renovação em  uma saga já consagrada nem sempre cai bem e o repeteco da objetividade de julgamento do filme anterior também não ajuda.

Como já foi citado, falta inventividade nas armadilhas, e elas tem mecanismos muito simplistas e que não parecem dignos de uma franquia como essa, que ficou famosa pela criatividade nas formas de matar. As vítimas não são escolhidas a dedo como outrora e parecem ser apenas pessoas que caíram de paraquedas e supostamente merecem morrer da forma menos intensa e pé no chão possível. A morte de Cecil é uma das únicas interessantes em todo o filme, e a reviravolta final é a mais óbvia e pior de toda a serie,

Para completar todos os filmes, vale muito a pena assistir Jogos Mortais IV sim, mas apenas por esse motivo. Por outros ele não é suficientemente atrativo e certamente não vai agradar a maior parte do público, que ficou satisfeita com os três primeiros. Esse filme marca o início de um pobre fim, e a série só volta a ser brevemente interessante no quinto e sexto filme, sendo o sexto um dos três melhores de toda a saga. Então, resta aguentar a confusão mental e a chatice do quarto filme filme para finalmente se divertir novamente com um bom roteiro e violência extrema.

A fotografia decaiu bastante, a direção de arte continua dando show, os efeitos especiais são aceitáveis, a direção é fraca, a edição é o ponto mais forte do filme e as atuações deixam a desejar. O filme falha tecnicamente quase na mesma intensidade em que é confuso. Assista por seu próprio risco de perder uma hora e meia da sua vida.

Melhor Cena

A morte de Cecil.

Anúncios