Não recomendado para menores de 12 anos.

Sinopse: Bilbo Bolseiro, Gandalf e a Companhia de Thorin seguem em direção à Montanha Solitária, onde se encontra a Pedra de Arken, e o tesouro dos anões, protegido pelo temido dragão Smaug. Ao mesmo tempo, Gandalf se preocupa com uma força sombria que surge na Terra Média.

21057125_20131112201221324.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

4

Gêneros: Aventura. Fantasia.

Dirigido por Peter Jackson.

Protagonizado por Martin Freeman,  Richard Armitage e Ian McKellen.

Na segunda parte da trilogia, Bilbo Bolseiro e os anões estão próximos de Erebor, e são deixados por Gandalf, que quer partir na frente pra preparar território. Neste filme as asquerosas aranhas gigantes estão de volta e logo de cara já prendem todo mundo, e cabe ao Bilbo Bolseiro salvar o rabo deles mais uma vez para dar continuidade a missão de chegar a Erebor e derrotar o dragão Smaug para recuperar a Pedra de Arken. Só pra ter um parâmetro de como começa o filme. Mais do que isso é spoiler.

O segundo filme tem ritmo mais intenso que o primeiro, mas a história não compartilha do mesmo carisma e peca em alguns pontos que o impedem de poder ser considerado uma obra prima. A ação e a fantasia estão ali, mas ele decepciona na aventura, com um roteiro menos complexo e que só chega ao seu clímax na luta contra o poderoso dragão.

Ian McKellen continua estrelando ao lado de Martin Freeman como os adorados Gandalf e Bilbo Bolseiro respectivamente, e suas atuações continuam incríveis. Alguns dos mais belos takes da saga estão neste filme, com muitas flores e uma vegetação densa e caprichada. Eles continuam sendo perseguidos pelo Orc que teve seu braço arrancado a tempos mas eu sempre esqueço o nome.

Os confrontos neste filme são seus pontos fortes, com um ritmo intenso e aquele feeling épico que só essa saga consegue trazer. Nenhum dos três filmes O Hobbit são tão bons quanto os três O Senhor dos Anéis, mas essa nova saga tem seu charme próprio e consegue cativar facilmente, esbanjando qualidade. É um filme altamente recomendado por dar continuidade direta à primeira parte, então, assistam contanto que tenham visto os quatro outros filmes antes, ou  a história não fará sentido. Mas este filme vale mais pela luta contra o gigante e perigosíssimo dragão Smaug.

Melhor Cena: O longo diálogo entre Bilbo Bolseiro e Smaug.

Anúncios