Não recomendável para menores de 16 anos.

Sinopse: As coisas para a agente federal americana Carrie Stetko (Kate Beckinsale) estão para ficar ainda mais perigosas. Sendo a única representante da lei nesse território cruel, ela acaba de ser enviada para investigar um corpo encontrado no gelo. O primeiro homicídio da Antártida. Uma descoberta chocante que vai levá-la a um mistério ainda mais estranho e à revelação de segredos há muito enterrados no gelo infinito… Segredos pelos quais alguém acredita que vale a pena matar. Enquanto Carrie se apressa a encontrar o assassino antes que ele a encontre, o inverno está apertando. No terrível território gelado da Antártida, Carrie só vai vê-lo quando ele estiver perto demais.

128019-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

2-estrelas

Gênero: Suspense e Terror.
Dirigido por Dominic Sena.
Protagonizado por Kate Beckinsale.

Durante uma nevasca na Antártida, uma policial americana decide investigar o primeiro assassinato da história do continente, o que a levará a descobrir segredos obscuros da época em que tudo fica escuro no continente durante 6 meses. Com a ajuda de um pequeno grupo eles começam a desvendar o crime, que acaba tomando dimensões fatais para aqueles que pensam estar seguros no meio do nada.

A história é boa, mas é mal aproveitada por uma pobre escolha de elenco e a confusão que vira o filme conforme o tempo passa. Não é um filme bem organizado, não é um filme bem atuado, ele peca na escolha do elenco e nas performances do elenco escolhido, não consegue divertir em momento algum e é dolorosamente lento. Basicamente é um filme de 100 minutos com conteúdo para 40, e isso é um sério problema.

Não ter escolhido a ótima Reese Witherspoon foi um grande erro, pois Kate Beckinsale é um tanto insossa e sem vida, com uma performance questionável e um câncer que persegue esse estilo de filmes: o senso de ritmo. O mistério que ronda o roteiro é fácil de ser decifrado e no filme, é mostrado muito lentamente e sem desenvolvimento de personagens.

A produção Americana/Russa é tão contrastante quanto a realidade de ambos países, e as cenas de flashback em sépia são no mínimo ridículas, e em nada incluem para o longa com suas semi-câmera lentas. Beckinsale parece sem rumo, mal guiada pelo péssimo diretor que é Dominic Cena, e o filme só empolga em momentos de perseguição e violência, como ocorre no primeiro encontro entre Carrie e o assassino.

Não está entre os piores filmes que eu já assisti, mas também não cumpre o seu papel de entreter, e tende a agradar somente cinéfilos muito pouco exigentes. O fim vai surpreender a maioria, mas eles realmente apelam muito pra realiza-lo, deixando em cheque o bom senso do roteirista.

Se você gostou dessa postagem curta, compartilhe, comente e se inscreva no blog. Seu suporte é muito importante pra mim e não leva mais do que um minutos. Abraço e até a próxima.

Melhor Cena: O assassino persegue Carrie pela base Russa.

Anúncios