Sinopse: Em plena Era Glacial, um grupo de animais, incluindo um tigre dentes-de-sabre, um mamute e algumas preguiças gigantes, encontra uma criança perdida. Juntos, eles decidem por procurar a família do menino, para que possam devolvê-lo.


Título Original: Ice Age
Classificação Indicativa: Livre
Gêneros: Animação, Aventura e Comédia
Direção: Carlos Saldanha e  Chris Wedge
Protagonistas: Ray Romano, John Leguizamo e Denis Leary

A Era do Gelo é um dos filmes de animação mais divertidos já feitos, com risos garantidos a todo momento apesar de suas semelhanças problemáticas com a temática do primeiro Shrek (2001), o que é mera coincidência porque ambos os filmes foram realizados aproximadamente ao mesmo tempo. Nele seguimos a história de Sid (John Leguizamo), Diego (Denis Leary) e Manny (Ray Romano), que encontram um bebê de uma vila próxima e se dispõem a entregá-lo de volta a sua família. Porém eles não esperavam encontrar perigos no caminho que botam em risco a sua nobre missão, principalmente vindos do traiçoeiro e mesquinho Diego, que se redime a tempo.
O filme é uma experiência estarrecedora e cheia de carisma que diverte, mesmo sem usar humor de duplo sentido como Shrek, sendo uma opção mais leve pra crianças menores e ensinando valores inestimáveis aos pequeninos, como fraternidade, apreço, justiça e a importância das boas intenções, sendo um filme bem didático e que aposta em uma abordagem direta e até um tanto peculiar com um humor limpo que se tornou bem característica da serie de filmes que já está em sua quarta entrada oficial, sem contar spin-offs. É magnífico como um brasileiro conseguiu fazer um filme de animação de sucesso mundial e com qualidade indiscutível.
Se o que você procura é um filme revigorante, que esbanja conteúdo, diverte pra caralho e mostra ao mundo que a nova geração de animações americanas ainda não havia acabado e não iria acabar. Se gostou do filme comente o que achou nos comentários, e se não gostou, fazer o que, se reclamar vai ter um quinto. Agora sério, recomendo este filme para todos os públicos apesar de sua proposta ser infantil demais, e espero que todos gostem dele pelo o que ele é, ao invés de o que ele podia ser, porque ele não é um filme nos níveis de Toy Story (1996) e Rei Leão (1994), que já são sagrados como grandes marcas do cinema de animação. Mesmo assim, tem muitos méritos e é um ótimo filme.
Se gostou da postagem, comente, compartilhe e se inscreva.
Anúncios