20212825.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Título Original: Freddy’s Dead: The Final Nightmare
Classificação Indicativa: 16 anos
Gêneros: Comédia e Terror
Direção: Rachel Talalay
Protagonista: Robert Englund

Introdução

O sexto e último filme da saga principal de longas A Hora do Pesadelo é um dos mais polêmicos de toda a série. Ele polarizou opiniões de pessoas que davam graças a Deus que a série, já moribunda, tinha finalmente morrido, enquanto outros achavam que o humor negro era o caminho certo a seguir e que a franquia devia ter continuado. Fato é que o filme estourou nas bilheterias e atraiu novamente a atenção pra Freddy Krueger (Robert Englund), que vinha perdendo atenção a cada filme, tornando-o a obra mais famosa de toda a série. Ela conta a história de Maggie (Lisa Zane), que consegue ajudar o último sobrevivente da cidade onde Freddy atacou os adolescentes anteriormente, e o jovem acredita ser filho de Freddy.

Opinião

Já mal das pernas dês do último filme, essa foi a sepultura do túmulo da saga A Hora do Pesadelo, com humor demais e Terror de menos o filme é uma completa piada, tanto figurativamente quanto literalmente. Freddy voa como bruxa, bate em um personagem com uma frigideira de ovos e joga um game para matar um personagem. E pior, tudo no mesmo filme. Se esse humor escrachado fosse dividido em várias obras era bem improvável que causaria um impacto tão negativo. O filme até tem bons níveis de violência mas é tudo muito caricato e teatral, e não combina com Freddy Krueger. Há uma grande regressão nos efeitos especiais, que no começo da saga eram algo de primeira linha, e faltou mais empenho da dupla roteirista e do diretor pra fazer algo mais sólido e que tivesse uma qualidade mais duradoura. Mas não, eles preferiram fazer um filme de comédia escrachada que manchou a imagem da série que uma vez foi sinônimo de sustos e aclamação de público e crítica. Um filme de Terror pode ser bom sem sustos, mas esta é uma característica básica e que quando não presente, deve haver algo de interessante para mostrar para o público, do contrário fica um vazio na essência do filme e ele se torna um completo desastre, e isso infelizmente foi o que aconteceu com o fim da saga principal de Freddy Krueger, e só um ótimo reboot e um remake decente limparam a sujeira deixada por esse peculiar e insensato pedacinho de cinema fantástico que fez de tudo pra se auto-destruir. Nem os personagens se salvam e há uma completa falta de carisma da parte deles, que irritantes e abusados dão o prazer de morrer durante o filme. Não se salva um. É uma verdadeira pena.

Conclusão

Se você, como eu e a grande maioria das pessoas, gosta do Freddy mal, sanguinário, sujo, macabro, fuja desse filme como diabo foge da cruz, porque ele destrói a reputação de uma das mais adoradas franquias de filmes de Terror e deixa um vazio no peito ao fim da experiência, mostrando que nas mãos erradas, como diz minha querida Rita Lee, tudo vira bosta.
Anúncios