Introdução
Com toda a polêmica envolvendo Azelia, digo, Azaléa… Azaleia, Azeila, Azealiza, Azealia Banks… ufa, agora foi, eu me perguntei, será que ela tem um talento grande para acompanhar o ego da auto-proclamada rainha da Internet ou é só papo pra desconhecida cantora em terras tupiniquins chamar a atenção ao brigar com brasileiros no Twitter e Facebook, encrencar com figuras queridas pelo público como a cantora Sia, ou exibir suas raízes africanas ao mostrar um lugar da sua casa onde faz sacrifícios de animais. Fato é que ela conseguiu atrair os holofotes para ela, e a pergunta que fica é: ela tem talento? Descubra a resposta com este review dos destaques positivos e negativos do primeiro álbum da rapper americana.

Broke With Expensive Taste
7

Gostei!

212

O primeiro single lançado pela cantora no já longínquo 2011 fez sucesso moderado nos Estados Unidos, merecidamente, diga-se de passagem. É uma música upbeat com uma excelente letra que esbanja agressividade e puxa rivalidade com as outras rappers apelidando elas carinhosamente de “cunts”, a palavra mais ofensiva do Inglês americano. A batida é boa e tem um trecho cantado com moderada afinação. É uma ótima música.

BBD

Um rap tradicional com mais uma letra memorável, flerta com o estilo experimental de Kanye West com aquelas típicas quebras rítmicas e um ritmo inegável, trazido direto das raízes do Rap nos anos 80 e com um efeito no bridge que sorrateiramente da um toque moderno à faixa.

Chasing Time

Uma música cantada com uma afinação bem acima da média, é um R&B poderoso, com excelente bridge, pegada dançante, e com bem vindos trechos de Rap que só tornam a mistureba feita na música mais contagiante e divertida, sendo facilmente uma das mais cativantes músicas de Rap que eu ouvi nos últimos tempos.

Luxury

Também cantada, é mais delicada que Chasing Time e tem feeling, com uma batida eletrônica animada e uma performance vocal respeitável que contrasta com a delicadeza do instrumental e se torna a faixa mais sexy e capciosa do variado disco.

Nude Beach a Go-Go

Uma faixa com uma tremenda performance vocal, uma letra interessante, melodia incessantemente cativante e algumas quebras rítmicas sendo uma das músicas mais surpreendentes e originais que ouvi do ano de 2014. Ouro puro.
Não gostei!

JFK

Quando se vai homenagear uma das figuras mais importantes da história de seu país, uma abordagem agressiva e vulgar pode não ser a melhor das ideias, e aqui Azaelia errou feio e fez uma música desagradável e muito mundana… pobre.

Wallace

Wallace é uma das piores músicas que ouvi na vida. Não só de Rap. Pode contar qualquer gênero. A letra é putaria pura, do mais baixo nível, lembrando por vezes a terrível rapper Lil’ Kim. A batida é estranha e parece ter sido feita em 2002 por Lars Ulrich com um sofá velho, uma colher de pau e uma panela de pressão. Antipatia à primeira audição.

Miss Amor

Plágio de diversos outros artistas de Black Music como Missy Ellioth, Black Eyed Peas, Prince, e outros incontáveis nomes, é uma ofensa ao gênero e não representa nada que sua cor tenta passar nos tempos modernos, esquecendo assuntos mais relevantes como igualdade e união, partindo pro trivial e dispensável.
Conclusão
A resposta pra pergunta da introdução do texto é simples: sim, Azealia Banks tem talento de sobra e só está errando por direcionar o seu som a algo mais agressivo e pesado do que deveria, coisa que não ajuda ela a ganhar uma nota mais alta, mas o álbum tem vários momentos excelentes (citados), alguns momentos bons (não citados), alguns momentos indiferentes (não citados) e poucos momentos negativos (citado), então a escolha é sua se quer dar uma chance pra como diria nossa saudosa Dercy Gonçalves, essa boca de buceta de vaca.
Anúncios