Em uma Chicago distópica, dividida em facções que tem testes de aptidão para os personagens verem em qual eles se encaixam, cada uma com uma virtude, e uma pessoa que se encaixa em múltiplas ganha o nome de Divergente. O filme é baseado em uma coleção de bestsellers de mesmo nome e levou a Ficção Científica de volta ao grande público e atraiu o interesse de pessoas de todas as idades por sua abordagem de fácil entendimento, personagens carismáticos e elenco competente. A protagonista é Divergente, e escolhe uma facção diferente da que nasceu, a Audácia, a facção que requer coragem, força e perseverança. E esse será o maior desafio de sua vida.
Tris, interpretada com fibra por Shailene Woodley e seu treinamento, conduzido principalmente por Four (Theo James), seu par romântico no longa, dominam a maior parte do primeiro filme e muita ação e ficção são garantidas. Logo começam a caça por divergentes, todos os holofotes se viram à ela, que apesar de não contar pra ninguém do real resultado de seu teste, por seu rápido desempenho em testes. Tentam até eliminar a coitada. Ao longo do filme eles lidam com a tirania da líder da facção responsável pela inteligência e a justiça, a Erudição. Os efeitos especiais são anormalmente incríveis, a fotografia é bela, a direção de arte é uma das melhores dos anos 2010, e eu não entendo as pessoas que não gostaram do filme apenas por conta de ser mais uma história baseada em um livro. Kate Winslet é incrível no filme e está em sua melhor performance desde Titanic. Então, todos ganham, menos a Erudição por ter que enfrentar Trisi.
Resumindo, ótimo filme, muito subvalorizado e com uma das histórias mais inteligentes dos últimos anos. Não da pra perder.

Anúncios