Apesar do grande elenco, com Mila Kunis, Channing Tatum, Eddie Redmayne e Sean Bean, e efeitos especiais fascinantes, O Destino de Júpiter é um filme muito confuso e complexo pra divertir. É um filme com raízes na Ficção Científica e Fantasia que conta a história de Júpiter Jones, uma jovem mulher que descobre fazer parte de um alto posto na hierarquia interplanetária e que deve ocupar seu lugar de direito como majestade do sistema solar, mas um tirano intergalatico não está disposto a vê-la no posto mais alto da hierarquia do nosso sistema. Ela então conta com a ajuda de Caine para derrotar o inimigo. O roteiro é até difícil de explicar, e não faz o mínimo sentido dando ênfase a uma realidade fantasiosa demais e traz elementos tirados de Star Trek, Star Wars e muitas outras franquias consolidadas, só que sem ir direto ao ponto e complicando demais a narrativa de forma que muitas palavras confusas sejam faladas e os personagens não tenham profundidade em suas personalidades rasas e pouco exploradas. O filme até poderia ser ótimo, se fosse uma sequência de um primeiro filme com uma base mais robusta e mais explicação sobre os infinitos detalhes da trama, já que dessa forma haveria uma melhor compreensão do que o filme tem a mostrar, mas não é o caso, então por essa razão, minha nota para o filme é um decepcionante 4.
Anúncios