18746458.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

8

Grécia, 480 AC. Na Batalha de Termópilas, o rei Leônidas (Gerard Butler) e seus 300 guerreiros de Esparta lutam bravamente contra o numeroso exército do rei Xerxes (Rodrigo Santoro). Após três dias de muita luta, todos os espartanos são mortos. O sacrifício e a dedicação destes homens uniu a Grécia no combate contra o inimigo persa. O filme foi recebido de forma morna pela crítica e com aclamação pelo público.

Um filme estilizado e ultra violento sobre bravura, que conta a história de uma luta icônica, que marcou a história da Grécia, onde um grupo de guerreiros em grande desvantagem foi rumo à morte certa em uma guerra contra o tirano rei Xerxes, um personagem histórico que é usado para exemplificar o mal na Grécia Antiga e que tirou a vida de milhares durante o seu longo reinado, tendo como oposição o também histórico rei espartano Leônidas e seu pequeno exército. A fotografia do filme é perfeita e ideal para dar ênfase à violência que é exagerada e exacerbada no filme, sendo a grande razão por trás da altíssima censura do filme. A batalha é empolgante e o filme consegue marcar mesmo com o rumo que toma em seu roteiro, que certamente irá frustrar muita gente.

Se você procura por um épico em grande escala que mostra a coragem, a persistência e a agressividade de guerreiros determinados a destruir um inimigo em comum, não há melhor representação de tal tipo de batalha que em 300, um dos maiores e mais influentes Blockbusters dos anos 2000. Sua importância para a história do cinema, especialmente se tratando de maquiagem, figurinos e efeitos especiais, elemento muito usado durante todo o filme, é inestimável e fala por si só. Um grande filme que merece ser respeitado e inovou no cinema. Aquele abraço e até a próxima.

Anúncios