Pânico-1996-5

9

Sinopse

Um novo serial killer está imitando famosos assassinos do cinema e matando jovens como nos filmes, criando trabalho para a polícia local e assustando os estudantes do colégios da cidade. Pânico marcou o renascimento do sub-gênero terror adolescente, abrindo uma nova onda de filmes do estilo.

Crítica

Qual é o seu filme de Terror favorito? O meu é Pânico. Lógico que eu acho muitos filmes de Horror melhores do que ele mas por gosto pessoal ele é minha escolha, principalmente por introduzir a metalinguagem ao Terror de forma inteligente e dinâmica. Ele narra o doentio sofrimento de Sidney Prescott, que um ano após o brutal assassinato de sua mãe vê seus amigos morrendo um a um por conta de um psicopata mascarado que gosta de ligar para as vítimas ameaça-las e fazer a icônica pergunta que abre esta crítica. Com uma das reviravoltas mais inesperadas da história do cinema, a obra prima da carreira do saudoso mestre Wes Craven tem uma linguagem jovem para contar uma distorcida e sangrenta história de vingança, com direito a boa e velha violência extrema e um humor negro único e sábio, que balanceia bem a trama de um jeito que só Craven sabe fazer. Aconteceu com A Hora do Pesadelo e acontece aqui, com direito a personagens carismáticos e um deboche claro aos clichês do gênero, mostrando uma atitude de “eu sei fazer diferente” e criando diversos bordões que são repetidos por toda a saga, como “eles sempre voltam” e o apelido do assassino mascarado dito por uma das personagens, Ghostface, que pegou e se tornou a marca da longa e prolífera franquia. É difícil não gostar de Pânico, afinal, ele tem tudo o que um bom filme de Terror precisa ter e é uma experiência marcante e duradoura que deu início a uma das franquias de Horror de mais sucesso da história do cinema, onde simplesmente nenhum filme é ruim, como se tudo o que Wes Craven tocasse se transformasse em ouro. Nos anos 2010 a franquia de filmes ganhou até uma adaptação inspirada nela para a TV com uma parceria da Netflix com a MTV, chamada Scream, o nome original do filme, do qual eu recomendo para todos os fãs da série ou de filmes slasher, inclusive, por dar continuidade à forma inteligente de fazer Horror de Wes Craven, agora em formato semanal. Voltando ao filme, Sidney não é aquela típica protagonista burra e indefesa. O assassino tem muito trabalho para tentar matar ela, pois ela é violenta e sorrateira, e isso só aprimora a magia cinematográfica do filme. Recomendado à jovens adultos e adultos, é um filme certeiro, sem erros e sem furos, e se você estava na idade da pedra até hoje e ainda não o assistiu, ele é cinema essencial. Abraços cordiais.

Anúncios