canibais-2013-5
6

Sinopse

Estudantes ativistas de Nova York viajam para as remotas florestas do Peru com o objetivo de fazer um protesto que visa impedir a derrubada de árvores nativas da selva sul-americana, mas em vez disso acabam encontrando uma tribo de canibais quando seu avião cai no meio da floresta.

Crítica

Também conhecido como The Green Inferno, esta obra de Eli Roth, o queridinho do Quentin Tarantino e responsável pelo sádico filme O Albergue, chamada Canibais, mostra um grupo de estudantes que guiados por um falso líder vão fazer ativismo na Floresta Amazônica do Peru e acabam sofrendo um acidente de avião que os leva a uma tribo indígena de canibais e é aí que a violência extrema e desenfreada começa, com desmembramento, mutilação e todo tipo de abuso físico que se tem direito para o deleite dos mais sádicos cinéfilos que existem. O grande problema é que o filme não vai muito além disso, deixando de lado um roteiro mais detalhado para dar espaço pra um filme diretão, sem uma direção de arte de destaque, uma edição ágil ou figurinos mais elaborados, se destacando apenas na maquiagem, efeitos especiais e realismo. Mas tem uma questão que é vital ser avaliada: assim como o clássico Holocausto Canibal, o filme cobre um grupo de documentaristas que acaba morrendo na mão de canibais, o que torna a obra de Eli Roth uma cópia igualmente brutal do filme citado, então originalidade é algo que não vemos aqui, mas o filme pode sim suprir as necessidades de um público menos exigente, e até me agradou, mais pela crueza que são mostrados os acontecimentos mesmo. Eli Roth é melhor ator do que diretor, vide Bastardos Inglórios, e como diretor, não é uma mente brilhante, não é a melhor ferramenta da caixa, mas da pro gasto e não chega a decepcionar com seus filmes bizarros. O resultado faz de experiência algo pra quem tem estômago e não é muito preso à fortes roteiros para serem agradados por um filme. O público comum. E como eles são maioria é apropriada a proposta de Canibais.
Anúncios