hq720

3

Lake Placid vs. Anaconda

Sinopse

A história gira em torno de um grupo corporativo que vai até a cidade dos crocodilos gigantes para capturar um deles. A proposta é que apenas com um híbrido entre crocodilo e cobra que um sociopata poderia aperfeiçoar o soro da orquídea sangrenta. Obviamente, tudo dá errado. O crocodilo se solta, assim como as cobras e com a cerca desligada, libertando mais crocodilos para a ação. Para servir de comida, temos um grupo de garotas universitárias, que estão dando bobeira na beira do lago, esperando a morte certa. No encalço desse povo todo, temos a guerreira Reba (Yancy Butler), agora xerife e mãe de uma das universitárias. Com o palco montado, resta esperar pelo banho de sangue, burrices e muitas asneiras.

Crítica

Anaconda é uma franquia ruim, Pânico no Lago é uma franquia pior, junte os dois e o resultado é esse filme bizarro e as vezes engraçado do qual eu vou falar agora. Pânico no Lago: Projeto Anaconda é uma obra over the top de Terror e Ficção Científica, que mostra de forma nada realista e com efeitos especiais porcos o embate entre crocodilos e cobras geneticamente modificadas. A narrativa do filme é bagunçada e confusa, com muitos furos no roteiro e levantando muitos questionamentos. O elenco é dividido entre artistas consagrados em fim de carreira, como no caso de Robert Englund, o eterno Freddy Krueger, e jovens atores inóspitos e sem embasamento algum em suas atuações. A interpretação dessa segunda parte do elenco é sofrível e na história, são personagens descartáveis. Todos muito fúteis e burros, com comportamentos horríveis e atitudes péssimas, do tipo que me fazem torcer por suas mortes e causar risos quando elas acontecem. Não é sadismo meu, as mortes nesse filme são algo engraçado, especialmente pelos efeitos especiais que usam um CGI muito ruim para criar os crocodilos e cobras, fazendo parecer que eles são animações, fora os exageros quando, por exemplo, uma anaconda amaça um carro com a força de seu corpo, mas falta a violência que estamos acostumados nos filmes de ambas as franquias, sem mutilações, dilacerações e desmembramentos, algo muito característico da série Pânico no Lago. O foco do filme mesmo é o humor, que impede ele de zerar a pontuação, com boas sacadas e alguns momentos hilários que fazem valer a pena assistir esse filme em nome da diversão, mas fora isso, é um filme horrível.

Anúncios